Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião

Ponto de viragem

Ruas cheias, filas de trânsito, centros a abarrotar. Estamos livres.
Paulo João Santos 21 de Abril de 2021 às 00:32

Filas de trânsito, restaurantes animados, ruas cheias, centros comerciais a abarrotar. Não fosse a máscara e no final desta semana andaríamos a trocar histórias da Covid com familiares e amigos, como fazendo parte do passado. Estaremos livres? Vamos acreditar que sim.

Mesmo considerando a dualidade de critérios que têm marcado os diversos desconfinamentos – vê-se mais gente no interior das catedrais do consumo do que nas bancadas da maioria dos estádios de futebol em circunstâncias normais – esta dinâmica não vai parar.

As famílias querem planear o futuro, as empresas recuperar o tempo perdido, os desempregados da pandemia regressar à atividade.

Cabe ao Governo fazer a sua parte, através do reforço do apoio às empresas e da ajuda às vítimas da crise. Mas fazê-lo de forma efetiva, sem propagandas. Também é necessário acabar com a obrigatoriedade do teletrabalho.

Uma decisão precipitada, que cria constrangimentos às empresas e afeta o funcionamento dos serviços públicos. Em contexto de abertura deixou de fazer sentido.

Chegámos, finalmente, ao ponto de viragem. Há que aproveitar a oportunidade.

Ver comentários