Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6

O alfaiate de Lisboa

No pequeno mundo de Medina ninguém tem a competência do amigo Sérgio.
Alfredo Leite(alfredoleite@cmjornal.pt) 3 de Setembro de 2022 às 00:32
Fernando Medina identificou, há semanas, “uma necessidade específica do Ministério das Finanças” que consistia na nomeação de um consultor para facilitar os contactos do ministro com empresas, Banca e confederações de patronato. Se bem identificou a necessidade, melhor contratou e o escolhido foi Sérgio Figueiredo.

A circunstância da seleção ter sido opaca, sem critérios revelados e do facilitador escolhido ser um ex-jornalista que, enquanto diretor da TVI, contratou Medina como comentador, levantou dúvidas. Por evidenciar possíveis conflitos de interesses e pelos valores da contratação: Figueiredo deveria auferir um salário de ministro, sem exclusividade.

O coro de críticas obrigou o antigo jornalista a desistir do lugar. E sem Figueiredo, conta agora o ‘Expresso’, a “necessidade específica” de Medina vai, afinal, ficar por preencher. Ficamos assim a saber que, no pequeno mundo de Medina, ninguém mais poderia chegar perto da competência do superdotado antigo jornalista. Só que, no final deste processo, fica também no ar, como suspeitávamos, a hipótese de o ministro ter desenhado um fato à medida do putativo amigo. Porquê, é o que ainda não sabemos.

Medina Lisboa Fernando Medina Sérgio Figueiredo
Ver comentários