Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9

País abre ao postigo

Faltam vacinas para garantir imunidade de grupo antes do verão.
Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 15 de Março de 2021 às 00:33

Hoje inicia-se o desejado desconfinamento do País. Começa tímido e a conta-gotas, com vendas ao postigo, possibilidade de passeios nos jardins, barbeiros e cabeleireiros com autorização para trabalhar e o regresso das crianças à escola .

O impacto deste segundo confinamento ainda não está devidamente contabilizado, mas sabemos que empobreceu mais o País. O Governo anunciou na semana passada um novo pacote milionário de ajudas, que a fundo perdido ascenderão a 1,16 mil milhões de euros. Só que estas medidas são temporárias e as empresas e famílias perderam muito mais do que isso durante esta severa crise.

Quanto mais tempo durar a crise sanitária pior será o resultado económico. E nesta matéria, a União Europeia está a ter um desempenho miserável em comparação com os Estados Unidos. Por cá não há vacinas suficientes para garantir imunidade de grupo antes do verão, mas não falta propaganda vã. Como as sucessivas promessas de testagem em massa. Milhares de professores e funcionários regressam hoje às escolas, sem vacinas, nem os testes prometidos.

Ver comentários