Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

António José Seguro regressa e critica política europeia

Antigo líder do PS não poupou críticas às demoras europeias na resposta à pandemia.
Wilson Ledo 10 de Maio de 2021 às 08:45
António José Seguro fez conferência em Cascais
António José Seguro fez conferência em Cascais FOTO: Facebook da Associação Nossa Europa
A “falta de coragem” dos atuais líderes e a demora nas decisões estão a “matar, lentamente, a Europa”. O aviso foi deixado este domingo por António José Seguro, antigo líder do PS, afastado da vida do partido após disputar a liderança com António Costa.

Numa conferência em Cascais, o agora docente universitário não poupou críticas à atual atuação europeia. “É inaceitável que a Europa, ao fim de 15 meses, ainda não tenha concluído o processo de aprovação do seu plano de recuperação económica, perante o sofrimento das pessoas e as dificuldades das empresas”, atirou.

No rescaldo da Cimeira Social do Porto, que Costa considerou um sucesso, Seguro não teve dúvidas: falta “coragem política” aos decisores europeus. O antigo secretário-geral do PS lembrou que 11 países defenderam que as “políticas sociais e de emprego são competência nacional”. “Seguem a lógica de que é preferível ignorar o problema do que criar ainda mais problemas”, reforçou.

Apesar destas farpas indiretas à Presidência Portuguesa da União Europeia - que tinha na Cimeira Social um dos seus pontos altos, procurando soluções para as questões sociais que a pandemia veio acentuar -, Seguro não se debruçou sobre a política interna. O político foi afastado da liderança do PS em 2014, após uma disputa interna com António Costa. Desde então, teve uma postura discreta. O maior trabalho político tem acontecido junto da Nossa Europa, plataforma de reflexão que junta nomes de vários quadrantes.

Ver comentários