Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Autárquicas: Sete forças políticas disputam a maior autarquia dos Açores

André Viveiros, do PS, foi o primeiro candidato conhecido à presidência da Câmara Municipal de Ponta Delgada.
Lusa 1 de Setembro de 2021 às 09:53
 Sete forças políticas disputam a maior autarquia dos Açores
Sete forças políticas disputam a maior autarquia dos Açores FOTO: Direitos Reservados
Sete forças políticas - PS, BE, PSD, IL, CDU, PAN e Chega - apresentaram candidaturas à presidência da Câmara Municipal de Ponta Delgada, a maior autarquia dos Açores, que em democracia foi quase sempre liderada pelo PSD.

Em 28 de maio, André Viveiros, do PS, historiador e líder da bancada do partido na Assembleia Municipal, foi o primeiro candidato conhecido à presidência do município.

O último candidato anunciado foi o professor de Ciências Naturais Dinarte Pimentel, que concorre pelo PAN.

Pelo meio, foram conhecidos os nomes de Pedro Nascimento Cabral, advogado e deputado regional, como candidato do PSD, e do professor de Física e Química Rui Teixeira, que concorre pela CDU (PCP/PEV).

O funcionário da SATA Luís Quental apresenta-se como cabeça de lista da IL, enquanto Luís Franco, trabalhador da Rede Integrada de Apoio ao Cidadão, é o nome proposto pelo Chega.

A funcionária da SATA e deputada municipal Vera Pires, que concorre pelo BE, é a única mulher a encabeçar uma lista à presidência da autarquia.

Em 11 eleições autárquicas livres, o PSD presidiu quase sempre à Câmara de Ponta Delgada, com exceção do mandato 1989-1993, em que socialistas em coligação com o CDS-PP 'tiraram' a autarquia aos sociais-democratas.

A Câmara de Ponta Delgada é atualmente liderada pela social-democrata Maria José Duarte, a terceira presidente do município no atual mandato.

Em dezembro de 2020, Maria José Duarte disse não estar nos seus planos candidatar-se à presidência daquela câmara nas próximas autárquicas, uma vez que assumiu o "compromisso" de "concluir o presente mandato".

Em junho do ano passado, a até então vice-presidente assumiu a presidência da câmara depois de Humberto Melo ter renunciado ao cargo por questões de saúde.

Humberto Melo havia em março sucedido a José Manuel Bolieiro, que saiu da autarquia para se dedicar em exclusivo à liderança do PSD/Açores. Bolieiro assumiu posteriormente a liderança do Governo dos Açores.

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD, com Bolieiro, venceu a Câmara de Ponta Delgada com 51,28%, alcançando cinco mandatos, sendo que os outros quatro mandatos foram conquistados pelo PS (39,11%).

De acordo com os dados preliminares do Censos 2021, o concelho de Ponta Delgada, com 233 quilómetros quadrados, continua o mais povoado dos Açores, com 67.287 residentes, mas registou uma perda de 1.522 (menos 2,2%) relativamente a 2011.

De acordo com a plataforma EyeData, o valor médio mensal ganho por um trabalhador por conta de outrem em 2019 era de 1.205,50 euros, ligeiramente abaixo da média nacional de 1.207,01 euros.

Segundo dados de 2020, o concelho registava 13,88% da população residente com 65 anos ou mais (a média nacional era de 22,29%) e 15,63% de jovens com menos de 15 anos na sua população, valor acima do total do país (13,50%).

Em 2020, Ponta Delgada tinha 6,64 médicos por mil habitantes, um valor acima da média do país, que se situava nos 5,56.

Em 2019, o número de camas de hospital por mil habitantes no município foi de 12,30 por mil habitantes, enquanto o valor nacional foi de 3,13 camas por mil pessoas.

Em 2020, o concelho registou ainda uma taxa de retenção no ensino básico de 3,80%, acima da média nacional (2,21%).

O município é composto por 24 freguesias: Ajuda da Bretanha, Arrifes, Candelária, Capelas, Covoada, Fajã de Baixo, Fajã de Cima, Fenais da Luz, Feteiras, Ginetes, Livramento, Mosteiros, Pilar da Bretanha, Relva, Remédios, Santa Bárbara, Santa Clara, Santo António, São José, São Pedro, São Roque, São Sebastião, São Vicente Ferreira e Sete Cidades.

As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.

Ver comentários