Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Candidato do Livre ao Porto quer ser "parte da solução" ecológica

Diamantino Raposinho reiterou a necessidade de criar um plano para a transição ecológica.
Lusa 24 de Setembro de 2021 às 18:42
Diamantino Raposinho, cabeça de lista do Livre à Câmara do Porto
Diamantino Raposinho, cabeça de lista do Livre à Câmara do Porto FOTO: Sérgio Queirós/RTP
O cabeça de lista do Livre à Câmara do Porto disse esta sexta-feira que quer fazer "parte da solução" no que toca às alterações climáticas e reiterou a necessidade de criar um plano para a transição ecológica.

À margem da Greve Climática Estudantil, que percorreu hoje as ruas do centro do Porto, Diamantino Raposinho disse à Lusa que o partido quis apoiar a "mobilização de jovens, que não têm medo de exigir hoje o que não pode esperar para amanhã", e mostrar que também faz "parte da solução ao problema que [os jovens] enfrentam, as alterações climáticas".

Na área do ambiente, uma das grandes bandeiras do partido pretende que "o Porto descarbonize na próxima década" e "que tenha um plano para a transição ecológica feito em conjunto com os cidadãos".

Para isso, sugere que seja convocada "uma assembleia de cidadãos, em conjunto com as universidades, autarquias vizinhas, associações empresariais, associações sindicais, as organizações da sociedade civil".

Esse plano é essencial, referiu, porque não se pode "ter uma série de soluções 'ad hoc', feitas à medida que as coisas vão acontecendo, é preciso planear".

"Temos de planear a longo prazo, e achamos que esse plano não pode ser feito pelos técnicos apenas, tem de ser feito em conjunto com os cidadãos, com os jovens que hoje se mobilizam por todo o mundo, para dizer que isto é uma emergência agora, um problema grave agora", vincou.

Naquele evento, em que participaram cerca de 150 pessoas, segundo uma estimativa da PSP apontada à Lusa, destacou que "a mensagem da ecologia é cada vez mais importante, cada vez mais pessoas percebem que estamos num ponto de viragem".

Sobre o objetivo de descarbonizar em dez anos, reconheceu que essa meta "tem de ser pensada de forma macro, mas os poderes locais podem fazer muito mais do que têm feito, nomeadamente, numa questão essencial, a mobilidade".

"Deixarmos de ter a cidade cheia de carros, como temos hoje, e termos uma mobilidade sustentável, baseada no transporte coletivo e nos meios de transporte suaves, andar de bicicleta, a pé, ter uma cidade segura para que toda a gente possa deixar o carro em casa, ou nem sequer ter carro, e usar meios de transporte suaves" é o caminho indicado pelo candidato.

No último dia de campanha, Diamantino Raposinho faz "um balanço muito positivo", destacando que "as pessoas estão cada vez mais atentas" à mensagem do Livre "de ecologia, participação, igualdade".

Para as eleições de domingo, as "expectativas são as mesmas desde o início -- eleger".

São cabeças de lista à presidência da Câmara do Porto, nas eleições de domingo, o atual presidente Rui Moreira (movimento independente "Rui Moreira: Aqui há Porto" - apoiado por IL, CDS, Nós, Cidadãos!, MAIS), Tiago Barbosa Ribeiro (PS), Vladimiro Feliz (PSD), Ilda Figueiredo (CDU), Sérgio Aires (BE), Bebiana Cunha (PAN), António Fonseca (Chega), Diogo Araújo Dantas (PPM), André Eira (Volt Portugal), Bruno Rebelo (Ergue-te) e Diamantino Raposinho (Livre).

 

ILYD // MSP

Lusa/Fim

Ver comentários