Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Carlos Moedas diz esperar boa relação com Costa na tomada de posse como presidente da Câmara de Lisboa

Agradecimento a Fernando Medina pela transição suave e um aviso ao Governo de que Lisboa terá a sua própria política.
Salomé Pinto 19 de Outubro de 2021 às 08:36
A carregar o vídeo ...
Carlos Moedas diz esperar boa relação com Costa na tomada de posse como presidente da Câmara de Lisboa
Diante de uma plateia de peso, com o ‘estado-maior da direita’ presente, o novo presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, afirmou, no discurso da tomada de posse, esperar ter uma boa relação com o Governo de António Costa.

Mas o ex-governante de Passos Coelho avisou também que “ Lisboa terá a sua política própria e a sua ambição própria”. “Quero Lisboa mais presente nos debates europeus e globais em áreas como a transição energética, mobilidade sustentável ou ciência e inovação”, vincou.

Antes deixou um elogio ao anterior autarca, Fernando Medina, pela “transição pacífica de poder”, assinalando que “o passado tem de ser respeitado”. Prevendo que os “novos tempos” sejam difíceis uma vez que não obteve maioria absoluta, Moedas dirigiu-se à maioria de esquerda e deixou um alerta: “Tenho direito que seja respeitada a nossa legitimidade.”

O autarca, que vai assumir o pelouro da transição energética e alterações climáticas, promete envolver as pessoas nas decisões da câmara, porque “a comunidade tem de estar no centro de tudo”. Moedas lembrou ainda as promessas da campanha, que são objetivos para cumprir: “Transportes gratuitos para os mais novos e para os mais idosos e um plano de acesso à saúde para os lisboetas com mais de 65 anos carenciados.”

A cerimónia contou com a presença do ex-Presidente da República, Cavaco Silva, os antigos primeiros-ministros Francisco Pinto Balsemão, Passos Coelho e Santana Lopes (atual presidente da Câmara da Figueira da Foz), os líderes do PSD e do CDS.

frases do dia
Decisão de Rui Rio sobre recandidatura está quase tomada
À chegada à tomada de posse de Moedas, o líder do PSD, Rui Rio, disse que a decisão sobre a sua eventual recandidatura à liderança laranja está “quase tomada” e em breve será anunciada. Também em clima de disputa interna, o líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, esclareceu que o partido “não está em crise”. O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, foi à cerimónia de tomada de posse e sentou-se ao lado de Rio e ‘Chicão’.
Ver comentários