Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Conselho Nacional do PSD "correu bem ao partido, não a mim", diz Paulo Rangel

Eurodeputado anunciou que é candidato à liderança dos sociais-democratas.
Lusa 15 de Outubro de 2021 às 07:45
Paulo Rangel no Conselho Nacional do PSD
Paulo Rangel no Conselho Nacional do PSD FOTO: Mário Cruz / Lusa
O eurodeputado do PSD Paulo Rangel defendeu, esta sexta-feira, que o Conselho Nacional, em que anunciou que é candidato à liderança, "correu bem ao partido" e não a si.

À saída de um Conselho Nacional de cinco horas, Rangel não quis alongar-se em declarações aos jornalistas, dizendo não querer "gastar as palavras hoje", reservando-as para a apresentação pública da candidatura, pelas 17h00, num hotel em Lisboa.

"Aqui apenas anunciei, por deferência ao órgão máximo do partido entre congressos, amanhã farei a apresentação, que tem de ser feita aos militantes porque são eles os votantes", justificou.

Questionado se o Conselho Nacional lhe correu bem - foi chumbada por larga maioria uma proposta da direção para suspender o calendário eleitoral interno até à votação do Orçamento do Estado -, Rangel fez outra leitura.

"O Conselho Nacional correu bem ao partido, não a mim", defendeu.

Rangel anunciou esta madrugada a decisão de concorrer à presidência do PSD perante o Conselho Nacional do partido, dizendo que o PSD tem de deixar de ser "da espera" para passar a ser "da esperança".

"Não acredito num PSD cuja função seja estar sentado no sofá à espera que o Governo de Costa caia de maduro", afirmou.

As eleições diretas do PSD foram marcadas para 4 de dezembro e o Congresso vai realizar-se entre 14 e 16 de janeiro, em Lisboa, depois de o Conselho Nacional ter chumbado (por 71 votos contra, 40 a favor e 4 abstenções) a proposta da direção de Rui Rio para suspender o calendário eleitoral interno até à votação do Orçamento do Estado.

"Que o dia 4 de dezembro represente a fecundação do partido, que seja capaz de criar esperança", desejou Rangel.

Paulo Rangel, com 53 anos, é eurodeputado desde 2009, tendo sido por três vezes consecutivas cabeça de lista nas europeias pelo PSD, e é vice-presidente do Partido Popular Europeu.

Líder parlamentar do PSD entre 2008 e 2009, sob a liderança de Manuela Ferreira Leite, Rangel disputou a presidência do PSD em 2010, conseguindo 34,4% dos votos contra os 61% de Pedro Passos Coelho, numas eleições a que também concorreram José Pedro Aguiar Branco (3,42%) e Castanheira Barros (0,27%).

O presidente do PSD, Rui Rio, ainda não esclareceu se será ou não recandidato ao cargo.

Nacional PSD Paulo Rangel Conselho Nacional Lisboa Rui Rio política partidos e movimentos
Ver comentários