Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Costa promete não interferir na escolha do sucessor nem criar deserto à sua volta

"Em 2023 tomarei a decisão sobre o que farei", disse o secretário-geral do PS.
Lusa 6 de Setembro de 2021 às 23:13
António Costa, Secretário-Geral do PS
António Costa, Secretário-Geral do PS FOTO: Movephoto
O secretário-geral do PS considerou esta segunda-feira que seria irresponsável decidir agora se vai continuar na liderança depois de 2023 e prometeu não apoiar nenhum candidato à sua sucessão, nem criar "um deserto" político à sua volta.

Estas posições sobre o futuro do PS após 2023 foram assumidas por António Costa em entrevista à TVI no espaço do jornalista Miguel Sousa Tavares e que durou cerca de uma hora.

"Em 2023 tomarei a decisão sobre o que farei. Acha que alguém responsável, num momento em que ainda estamos a atravessar uma pandemia [da covid-19], em que temos desafios grandes pela frente, toma em 2021 uma decisão dessa gravidade e dessa relevância a dois anos de distância?", questionou o líder socialista perante a insistência do entrevistador na questão da sua eventual recandidatura ao cargo de secretário-geral do PS.

António Costa PS política eleições partidos e movimentos
Ver comentários