Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Presidente da República abre porta a confinamentos locais para garantir verão

"2021 será o ano do início da reconstrução social", garante Marcelo.
Correio da Manhã 14 de Abril de 2021 às 20:02
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, falou ao País esta quarta-feira, após a votação no Parlamento sobre a renovação do Estado de Emergência. 

Recordou que em novembro decretou "o segundo e mais longo Estado de Emergência".

"Durante este segundo Estado de Emergência foi o que se seguiu ao confinamento geral" de janeiro, referiu o Presidente da República.

"Números colocaram-nos na pior situação da Europa e do mundo", sublinhou sobre essa altura.

Ainda assim ressalvou: "O desconfinamento deve seguir o seu curso". "Quando chamados ao heroísmo dos grandes desafios, os portugueses respondem sempre com coragem e solidariedade", assinalou o chefe de Estado, deixando um alerta de que "o caminho que se segue ainda vai ser muito trabalhoso".

Marcelo deixou uma palavra aos afetados pela pandemia e referiu que "mais complicado do que números da economia, é situação das pessoas", sublinhando os idosos e os institucionalizados.

"A economia demorará a dar os passos da reconstrução a sociedade demorará muito mais", disse, reforçando que "2021 será o ano da reconstrução social".

"Quero pedir-vos ainda mais um esforço para tornar impossível voltarmos atrás", pediu aos portugueses Marcelo, abrindo porta a "confinamentos locais" para garantir um verão de desconfinamento.

O projeto presidencial que renova o estado de emergência até 30 de abril (o 15.º), enviado esta terça-feira para o parlamento, é idêntico ao que está atualmente em vigor, sem quaisquer alterações ao articulado.

Na semana passada, Marcelo Rebelo de Sousa já tinha expressado o desejo de que esta "fosse a última renovação do estado de emergência, coincidindo com o fim do mês de abril". Contudo, na introdução deste diploma, nada é referido sobre essa possibilidade.
Estado de Emergência Marcelo Rebelo de Sousa País Parlamento política restrições coronavírus
Ver comentários