Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Entre o medo e a esperança: Eleitores brasileiros vão às urnas

Bolsonaro denunciou alegada fraude e ameaça não reconhecer os resultados eleitorais.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 2 de Outubro de 2022 às 01:30
Jair Bolsonaro garantiu que vai vencer já na primeira volta, mas Lula da Silva lidera sondagens há meses
Ameaças levaram polícia a reforçar segurança em Brasília
Jair Bolsonaro garantiu que vai vencer já na primeira volta, mas Lula da Silva lidera sondagens há meses
Ameaças levaram polícia a reforçar segurança em Brasília
Jair Bolsonaro garantiu que vai vencer já na primeira volta, mas Lula da Silva lidera sondagens há meses
Ameaças levaram polícia a reforçar segurança em Brasília
Mais de 150 milhões de brasileiros vão este domingo às urnas escolher o Presidente da República, governadores de estado, senadores, deputados federais e regionais divididos entre a esperança de dias melhores e o medo da violência pós-eleitoral. O atual Presidente, Jair Bolsonaro, já deixou claro que não aceitará uma derrota.

“Se eu tiver menos de 60% dos votos, algo de anormal aconteceu no TSE [Tribunal Superior Eleitoral]. Não tem como eu não ganhar na primeira volta [este domingo]”, disse há dias Bolsonaro, reafirmando a sua teoria de que o TSE, responsável pela contagem de votos, é dominado por “comunistas” e que, se não for reeleito este domingo, é porque houve fraude.

O otimismo de Jair Bolsonaro ignora as sondagens, que dão como certa a vitória nestas eleições do ex-Presidente Lula da Silva, havendo somente a dúvida se este será eleito já este domingo, na primeira volta, ou no dia 30, na segunda ronda. De acordo com o Instituto Datafolha, na sexta-feira Lula tinha 50% das intenções de voto, muito perto da eleição imediata, enquanto Jair Bolsonaro tinha 36% e o máximo que conseguiria era forçar uma segunda volta.

Nas redes sociais, grupos de apoiantes de Bolsonaro insinuam estar em curso uma conspiração para tirar o Presidente do poder e dar a vitória a Lula, e que a resposta a essa suposta fraude tem de ser dura.

Não por acaso, esta campanha eleitoral foi diferente de todas as outras. O medo fez os cidadãos evitarem expressar em público a sua opinião, e menos ainda o seu sentido de voto, não se viam carros de som nas ruas nem bandeiras partidárias nas janelas e eram raras as pessoas que exibiam nas roupas ou nos carros os habituais autocolantes com as fotos dos candidatos.

Eleitores querem decisão rápida
Noventa por cento dos inquiridos numa sondagem do Instituto Quaest dizem esperar que a eleição fique resolvida já na primeira volta.

85% já decidiram em quem vão votar
Numa eleição polarizada entre Lula e Bolsonaro, 85% dos eleitores garantem já ter decidido em quem vão votar. Restam 15% de indecisos.

Segurança máxima nos órgãos do Estado
Os edifícios do Supremo Tribunal Federal, do Tribunal Superior Eleitoral e do Congresso, em Brasília, estão sob rigorosas medidas de segurança devido às ameaças de invasão que circulam em grupos do WhatsApp e do Telegram ligados a apoiantes de Bolsonaro. Os prédios estão cercados por barreiras de grades e de cimento, foram instalados escudos antidrones e um grande efetivo de seguranças próprios dos três órgãos, da Polícia Militar e da Polícia Federal reforçou a proteção, tanto de forma ostensiva quanto em forma de reserva para emergências. E, lembrando a invasão ao Capitólio, nos EUA, após a derrota de Trump, foram criadas rotas de fuga para os juízes e os parlamentares que estejam nos prédios em caso de ataque.
Brasileiros Presidente Jair Bolsonaro Tribunal Superior Eleitoral TSE Lula da Silva política eleições
Ver comentários