Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Guiné-Bissau manifesta interesse formal em suceder a Angola na presidência da CPLP

País quer presidir à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa a partir de 2023.
Lusa 22 de Setembro de 2021 às 13:31
Os chefes das delegações dos países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP)
Os chefes das delegações dos países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) FOTO: António Cotrim/Lusa
A Guiné-Bissau manifestou interesse formal em presidir à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) a partir de 2023, já depois da cimeira de Luanda, em julho, segundo documentação a que a Lusa teve acesso.

Em julho, os estados-membros decidiram adiar por 15 dias a indicação do país que iria presidir à organização, agora nas mãos de Angola, e o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, explicou que se devia às eleições presidenciais em São Tomé e Príncipe, para saber se o vencedor aceitaria esse papel.

Em carta datada de 9 de agosto, dirigida ao secretário executivo da CPLP, o timorense Zacarias da Costa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e das Comunidades da Guiné-Bissau comunicou a todos os Estados-membros a intenção do país de acolher a próxima cimeira e pediu a confirmação da sua aceitação.

Ver comentários