Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

IL pede a Governo dos Açores medidas imediatas para travar desmontagem da SINAGA

Partido recomenda a criação de um museu da indústria regional.
Lusa 8 de Outubro de 2021 às 17:12
Iniciativa Liberal
Iniciativa Liberal FOTO: Direitos Reservados
O deputado da Iniciativa Liberal no parlamento dos Açores exigiu hoje ao Governo "medidas imediatas" para travar a "desmontagem e remoção de equipamentos" numa unidade da extinta açucareira SINAGA, recomendando a criação de um museu da indústria regional.

Em comunicado, a representação parlamentar da IL diz ter remetido hoje, à mesa da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, um projeto de resolução que "recomenda ao Governo a criação de um Núcleo Museológico da Indústria Açoriana dos séculos XIX e XX para integrar a Rede de Museus e Coleções Visitáveis dos Açores".

"O deputado da IL, Nuno Barata, exige do Governo medidas imediatas para cessarem as operações de desmontagem e remoção de equipamentos na unidade da SINAGA na rua de Lisboa, em Ponta Delgada", acrescenta, referindo-se a um dos polos da empresa em que o Governo Regional tinha uma participação de 51% desde 2010.

De acordo com a nota de imprensa, no projeto de resolução, Nuno Barata "considera que esta importante indústria do século XX, constituída em 1968, foi de relevante importância económica e social para a ilha de S. Miguel e Açores em geral e apresenta um património rico em equipamentos industriais".

O deputado pede, por isso, "que se dê instruções aos responsáveis pelas instalações da SINAGA para cessarem, de imediato, qualquer operação de desmontagem e remoção de equipamentos na unidade da Rua de Lisboa".

A iniciativa surgiu depois de Nuno Barata ter "tomado conhecimento de registos, nos últimos dias, de indícios de desmantelamento e remoção para lugar desconhecido, de equipamentos e outras estruturas da extinta Sociedade de Indústrias Agrícolas Açorianas, S.A. (SINAGA), sem ter sido efetuada uma avaliação prévia do seu interesse histórico".

"O deputado liberal, não querendo condicionar a utilização dos terrenos na sua totalidade por parte da Entidade Governamental que tutela o imóvel, considera que o desenvolvimento das últimas notícias vindo a público, através das redes sociais, sobre aquele espaço, são graves", refere o comunicado.

Para o deputado, "existe um elevado interesse histórico e patrimonial em determinados equipamentos existentes naquela empresa, agora extinta, nomeadamente na zona denominada por refinaria que devem ser salvaguardados".

"Essa salvaguarda dos equipamentos e do edifício da rua de Lisboa é um fator de valorização dos terrenos sobrantes para efeitos de venda, minimizando os avultados prejuízos acumulados ao longo dos anos de gestão pública", lê-se na nota.

No projeto de resolução agora apresentado, com "caráter de urgência e dispensa de exame em comissão", Nuno Barata "tem ainda em consideração outro valioso espólio industrial dos séculos XIX e XX que se encontra disperso pela ilha de S. Miguel e ainda por inventariar e classificar".

O deputado defende que o núcleo museológico teria "grande potencial turístico e notoriedade do destino Açores".

A extinção da antiga açucareira, na qual o Governo Regional tinha uma participação de 51% desde 2010, e a integração dos seus 51 trabalhadores na administração pública regional foram aprovadas em 28 de setembro na Assembleia Regional.

A proposta contou com 21 votos a favor do PSD, três do CDS-PP, dois do PPM, um da IL, um do Chega e um do deputado independente Carlos Furtado, e com dois votos contra do BE e 25 abstenções do PS.

Ver comentários