Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Jerónimo acusa PS, PSD e CDS de não acautelarem interesse público na resolução do Novo Banco

Secretário-geral do PCP comentou revelações do relatório da auditoria do Tribunal de Contas.
Lusa 6 de Maio de 2021 às 21:57
Jerónimo de Sousa
Jerónimo de Sousa FOTO: Direitos Reservados
O secretário-geral do PCP afirmou esta quinta-feira em Setúbal que o relatório da auditoria do Tribunal de Contas sobre o Novo Banco demonstra que a resolução e a privatização do Banco Espírito Santo (BES) não acautelaram o interesse público.

"A divulgação deste relatório vem contribuir para desmistificar a ideia de que as verbas do Fundo de Resolução não constituiriam recursos públicos, mas sim recursos do sistema financeiro", disse Jerónimo de Sousa, que considerou "inaceitável" ser o povo português a suportar os custos da resolução do banco.

"Contrariamente ao que nos foi dito pelos governos PSD/CDS e PS, estamos perante a utilização de dinheiros públicos, como o PCP sempre afirmou, já cifrados em perto de oito mil milhões de euros. E, como se não bastasse, temos a administração do Novo Banco a banquetear-se com dois milhões de euros de prémios. Um escândalo", frisou o líder comunista.

Jerónimo de Sousa falava a centenas de pessoas na placa central da avenida Luísa Todi, em Setúbal, na apresentação dos candidatos da CDU à presidência do município sadino, André Martins, do PEV, e à Assembleia Municipal, Manuel Pisco, do PCP.

O dirigente comunista elogiou o trabalho desenvolvido pelos autarcas da CDU na capital do distrito nas últimas duas décadas, lembrando também os problemas financeiros herdados da anterior maioria socialista, que obrigaram os eleitos da CDU a celebrar, com o Governo, um Contrato de Reequilíbrio Financeiro, que só termina em 2023.

"A obra que ao longo destes sucessivos mandatos está à vista é tão mais valorizável, quanto as energias que foi preciso concentrar para recuperar uma autarquia deixada pelo PS numa situação financeira calamitosa e um lastro de problemas acumulados e por resolver", disse.

"É caso para se dizer, como temos dito, que o trabalho sério não teme comparações", sublinhou Jerónimo de Sousa, dando vários exemplos do trabalho realizado em Setúbal, sob a liderança de Maria das Dores Meira, agora candidata da CDU à Câmara Municipal de Almada.

O líder comunista defendeu ainda que a apresentação dos dois candidatos da CDU em Setúbal, André Martins e Manuel Pisco, constituiu um "momento importante no percurso de afirmação da CDU e do seu inegável papel na construção de um concelho e de uma cidade onde dá gosto viver".

 

Jerónimo de Sousa resolução privatização Novo Banco economia política
Ver comentários