Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Líder do CDS-PP "muito honrado e feliz" com Monteiro ou Lobo Xavier na campanha

Francisco Rodrigues dos Santos justificou com a "compatibilização da agenda" que não estejam ao seu lado.
Lusa 21 de Janeiro de 2022 às 12:00
Francisco Rodrigues dos Santos em campanha
Francisco Rodrigues dos Santos em campanha FOTO: António Pedro Santos / Lusa
O presidente do CDS-PP mostrou-se esta sexta-feira "muito honrado e feliz" com a presença na campanha de Manuel Monteiro ou António Lobo Xavier e justificou com a "compatibilização da agenda" que não estejam ao seu lado.

À margem de uma visita às instalações temporárias do Mercado do Bolhão, Francisco Rodrigues dos Santos foi questionado sobre a participação do antigo presidente do CDS-PP Manuel Monteiro, do antigo líder parlamentar António Lobo Xavier ou do deputado João Almeida em ações de campanha no círculo de Aveiro, sem se cruzarem com o atual líder.

"Eu, como presidente do partido, fico muito feliz e muito honrado que esses protagonistas da história recente do nosso partido, numa altura em que o CDS joga a sua sobrevivência eleitoral, estão juntos para aconselhar o voto no CDS e unimos várias gerações de militantes do partido para votar CDS e para estar a fazer campanha no terreno, para motivar as pessoas a votar no partido pelas mesmas razões de sempre", defendeu.

O presidente centrista disse que já se cruzou com Manuel Monteiro ou Lobo Xavier antes do arranque do período oficial de campanha, que começou no domingo, e sustentou que a volta nacional do líder "é muito intensa, terá de passar pelos 18 distritos do país, e tudo isto implica" janelas de tempo "muito curtas em cada um dos distritos para conseguir abranger todo o território nacional".

"É uma questão de compatibilização da agenda, que nem sempre é possível fazer", acrescentou.

Questionado se não seria conciliável, Francisco Rodrigues dos Santos defendeu que, além da volta do líder, há também "a volta das distritais e dos círculos eleitorais, e eles nem sempre se intercetam".

Questionado sobre o seu futuro à frente do partido, Rodrigues dos Santos adiantou que "a seguir às eleições legislativas haverá congresso e nesse congresso disputar-se-á a liderança, e depois aí os militantes do partido são chamados a pronunciar-se".

"Eu tenho uma meta ambiciosa também para estas eleições legislativas, é que o partido cresça e se afirme forte, e tenho a certeza absoluta que o vou conseguir, e conseguindo, o novo presidente do partido será o velho presidente do partido", afirmou.

Nas eleições legislativas de 2019, Francisco Rodrigues dos Santos, então líder da Juventude Popular, foi candidato pelo círculo eleitoral do Porto, onde o partido elegeu um deputado, Cecília Meireles.

Esta sexta-feira, garantiu que não teme que o CDS perca a representação parlamentar neste distrito porque "as pessoas do distrito do Porto sabem reconhecer a qualidade dos representantes do CDS que tiveram no parlamento".

"Pela história que nós temos, pela tradição de qualidade a nível parlamentar com que sempre defendemos esta região do nosso país e também porque temos uma extraordinária cabeça de lista, a Filipa Correia Pinto, eu estou certo de que vamos confirmar um bom resultado também aqui no distrito do Porto e garantir a nossa representação parlamentar e, se possível, crescer", salientou.

Ver comentários