Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Medina diz que maioria absoluta não é um "papão"

Candidato do PS/Livre à presidência da Câmara de Lisboa classificou a campanha autárquica como "memorável".
Lusa 24 de Setembro de 2021 às 18:20
Fernando Medina preside à Câmara Municipal de Lisboa e também à Associação de Turismo de Lisboa
Fernando Medina preside à Câmara Municipal de Lisboa e também à Associação de Turismo de Lisboa FOTO: Duarte Roriz
O candidato do PS/Livre à presidência da Câmara de Lisboa afirmou esta sexta-feira que a maioria absoluta não é "um papão" e apelou ao voto na coligação 'Mais Lisboa', a única capaz de continuar um caminho de progresso e modernização.

Em declarações junto ao Arco da Rua Augusta, após uma arruada que teve início no Chiado, Fernando Medina, acompanhado do secretário-geral do PS, António Costa, fez um balanço da campanha autárquica, que classificou como "memorável" e pediu a todos que votem em si no próximo domingo.

"Não vale a pena acenarem com um papão de que há maiorias absolutas na calha. A verdade é esta: só o partido socialista com o Livre, com os movimentos de cidadãos independentes, com tantas e tantas centenas, milhares de independentes na cidade que constituem o 'Mais Lisboa', podemos continuar este caminho de progresso, de modernização", defendeu Fernando Medina no último dia de campanha oficial das eleições autárquicas.

"Estivemos esta campanha a falar com todos, olhos nos olhos, dos problemas concretos dos lisboetas, aqueles problemas que precisamos de dar resposta, a habitação para os jovens e para as classes médias, mais transporte público de qualidade para conseguirmos melhorar a vida das famílias, mas também combatermos as alterações climáticas com a urgência e a determinação que se impõe", assinalou o atual presidente da autarquia lisboeta e recandidato.

Na perspetiva de Fernando Medina, esta campanha tornou claro que não há à sua direita "qualquer resposta para nenhum destes problemas fundamentais, não há respostas para as pessoas".

O socialista 'disparou' ainda à esquerda, considerando que "nada teria acontecido daquilo que eles defendem se o Partido Socialista não fosse a grande força na cidade de Lisboa", tendo de seguida recebido muitos gritos de apoio.

O candidato da coligação 'Mais Lisboa' defendeu também que "quem acha que pode colocar o seu voto mais à esquerda porque o Partido Socialista já ganhou, está enganado".

"Todos têm de ir votar no domingo e têm que ir votar porque não há nenhuma eleição ganha à partida. Muitas vezes já aconteceu acharmos que a campanha vai num sentido, sentimos a confiança, as sondagens dizem uma coisa, mas a verdade é esta: nenhuma sondagem vota", apelou.

"Não se iludam com as sondagens, mobilizem todos, os vossos familiares, amigos, vizinhos, todos os conhecidos para irem votar no dia 26. Porque quem não vota está a deixar o seu futuro ser decidido pelo voto nos outros", reforçou ainda Fernando Medina.

Concorrem à presidência da Câmara de Lisboa, no domingo, Fernando Medina (coligação PS/Livre), Carlos Moedas (coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT/Aliança), Beatriz Gomes Dias (BE), Bruno Horta Soares (IL), João Ferreira (PCP), Nuno Graciano (Chega), Manuela Gonzaga (PAN), Tiago Matos Gomes (Volt), João Patrocínio (Ergue-te), Bruno Fialho (PDR), Sofia Afonso Ferreira (Nós, Cidadãos!) e Ossanda Líber (movimento Somos Todos Lisboa).

O executivo de Lisboa é atualmente composto por oito eleitos do PS (incluindo dos 'Cidadãos por Lisboa' e do 'Lisboa é Muita Gente'), um do BE, quatro do CDS-PP, dois do PSD e dois da CDU.

As eleições autárquicas realizam-se no domingo.

TFS

Lusa/Fim

Ver comentários