Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Ministro diz que episódio de pedido de demissão pelo PSD foi "antecipação da 'silly season'"

"O que vimos na sexta-feira foi uma antecipação da 'silly season' na política", afirmou Adalberto Campos Fernandes.
14 de Maio de 2018 às 14:21
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde
Adalberto Campos Fernandes
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde
Adalberto Campos Fernandes
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde
Adalberto Campos Fernandes
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde
O ministro da Saúde classificou esta segunda-feira como "uma antecipação da 'silly season' na política" o episódio que envolveu o pedido da sua demissão por parte de um deputado do PSD, que o partido depois tentou negar.

"O que vimos na sexta-feira foi uma antecipação da 'silly season' na política", afirmou hoje aos jornalistas o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, considerando que se tratou de "um problema do PSD" e não do Governo.

A 'silly season' é a designação dada geralmente à época do ano que coincide com as férias de Verão e que é entendida como sendo fraca em factos ou eventos dignos de cobertura noticiosa.

No debate parlamentar de sexta-feira, o deputado do PSD Ricardo Baptista Leite pediu a demissão do ministro da Saúde, considerando que, perante o "descalabro" no setor, é a única atitude que se espera.

"O senhor ministro falou da importância da seriedade na política. Face ao descalabro em que está instalado o Serviço Nacional de Saúde, a única atitude séria que se podia esperar do senhor ministro da saúde era a sua demissão hoje, aqui e agora", afirmou Ricardo Baptista Leite.

Pouco depois do debate, o presidente do PSD, Rui Rio, veio considerar que as demissões de ministros "dependem do primeiro-ministro", mas alertou que a situação na saúde em Portugal está hoje "pior do que há dois anos".

"Acho que o Governo tem de fazer uma reflexão", envolvendo "o primeiro-ministro, o ministro das Finanças" e "o ministro da Saúde", para "ver o que é que podem fazer no quadro da gestão do Ministério da Saúde em Portugal porque uma coisa é clara: assim eu acho que não pode continuar", disse o líder social-democrata.

Após as declarações de Rui Rio, o vice-presidente da bancada do PSD Adão Silva defendeu que o partido não pediu a demissão do ministro da Saúde, apenas a sugeriu, afirmando que a bancada e a direção sociais-democratas "estão plenamente sincronizadas" nesta matéria.
Ver comentários