Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, revolucionário e controverso capitão de abril

Coronel de artilharia elaborou plano de operações militares do 25 de abril de 1974. Tinha 84 anos. Funeral realiza-se na quarta-feira.
Correio da Manhã 25 de Julho de 2021 às 10:32
A carregar o vídeo ...
Capitão de Abril chegou a ser convidado pela Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) durante as negociações para o fim da guerra em Moçambique.
Morreu o capitão de Abril, Otelo Saraiva de Carvalho, aos 84 anos. O agora coronel de artilharia fez parte do grupo de militares que elaborou o plano de operações militares do 25 de abril de 1974. 

A notícia foi confirmada pelo presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, que explicou que Otelo Saraiva de Carvalho se encontrava doente no Hospital Militar.

Saraiva de Carvalho nasceu em Lourenço Marques (atual Maputo), e Moçambique, a 31 de agosto de 1936 e foi mobilizado para Angola, em 1961, como capitão de artilharia.

Otelo Saraiva de Carvalho tinha 37 anos, era major quando se deu o 25 de Abril e foi membro do Conselho da Revolução e comandante-adjunto do COPCON (Comando Operacional do Continente).

Concorreu à presidência da República, em 1976, eleições ganhas por Ramalho Eanes. Otelo foi o segundo mais votado, com 16% dos votos.

Depois de um percurso político-militar atribulado, esteve preso na sequência do caso das Forças Populares 25 de Abril (FP 25), organização responsabilizada por vários atos terroristas, e libertado cinco anos mais tarde, após recurso da sentença de 15 anos. As FP-25 foram responsabilizadas por uma série de atentados nos anos 70 e 80. Otelo negou fazer parte desta organização. "Eu tinha anunciado que ia ser cabeça de lista da Força de Unidade Popular (FUP) nas legislativas que iam decorrer em Outubro de 1984 e o PCP não estava disponível a sofrer uma derrota como a sofrida nas presidenciais, em que o seu número dois (Octávio Pato) foi amplamente derrotado por mim, que tive 17 por cento, e ele sete por cento", chegou a afirmar em entrevista.

"Nunca mandei matar ninguém. Tenho horror a qualquer assassínio. Liquidar um ente humano é para mim extremamente doloroso, não concebo que alguém o consiga fazer. E no entanto tenho este rótulo que me é dado, sobretudo pela gente de direita", assumiu ainda.

Em 1996, foi amnistiado e em 2001 absolvido.

As reações à morte de Otelo
São já várias as figuras que reagiram à morte do Capitão de Abril Otelo Saraiva de Carvalho. O 'cérebro' da revolução morreu este domingo aos 84 anos.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já reagiu também à morte de Otelo Saraiva de Carvalho, lembrando o papel central de comando na revolução do 25 de Abril e apresentando as condolências à família. "É ainda cedo para a História o apreciar com a devida distância", escreveu na nota enviada.

Leia aqui todas as reações

------------


O funeral de Otelo Saraiva de Carvalho, o estratega do 25 de Abril de 1974, realiza-se na quarta-feira, antecedido pelo velório, na véspera, na Igreja da Academia Militar, em Lisboa, informou hoje a Associação 25 de Abril.

Otelo Saraiva de Carvalho capitão
Ver comentários