Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

PEV vota contra Orçamento porque proposta não tem por onde "se lhe pegue"

Deputada Mariana Silva afirma que documento não apresenta respostas para os problemas do país.
Lusa 27 de Outubro de 2021 às 16:56
Mariana Silva, deputada do Partido Ecologista 'Os Verdes' (PEV)
Mariana Silva, deputada do Partido Ecologista 'Os Verdes' (PEV) FOTO: MÁRIO CRUZ/LUSA
O PEV justificou esta quarta-feira o voto contra a proposta de Orçamento do Estado para 2022, afirmando que o documento "não tem ponta que se lhe pegue" e é insuficiente no momento de recuperação económica.

"O Partido Ecologista 'Os Verdes', com todo o sentido de responsabilidade vota contra o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022)", disse o deputado Mariana Silva, durante a intervenção de encerramento do debate de apreciação na generalidade da proposta orçamental para o próximo ano. A deputada foi vaiada por alguns deputados socialistas quando reafirmou o já anunciado voto contra o documento.

A deputada ecologista acrescentou que o documento apresentado pelo Governo e votado no final das intervenções dos partidos "não tem ponta que se lhe pegue" e não apresenta respostas para os problemas do país.

"Os Verdes esperavam do Governo um Orçamento para 2022 capaz de dar respostas robustas ao conjunto de dificuldades que atravessamos e que requerem ação urgente", prosseguiu, completando que "Os Verdes" "não desistiram de encontrar soluções que permitissem a melhoria substancial e a consequente viabilização do Orçamento".

O PEV apresentou 15 propostas apresentou ao executivo socialista para viabilizar o Orçamento do Estado, mas a resposta do Governo "que chegou, como diz o povo, tarde e a más horas, e, sobretudo, o seu conteúdo, revelou uma notória ausência de vontade do Governo de procurar soluções".

Mariana Silva considerou que este Orçamento era "uma oportunidade" que foi perdida pelo PS.

"Sabemos que o ambiente precisa de um outro impulso na promoção do transporte público. O silêncio do primeiro-ministro à questão que ontem aqui lhe coloquei sobre a gratuitidade dos transportes públicos até aos 18 anos, diz muito da vontade do Governo. Enchem a boca com as Alterações Climáticas, mas medidas concretas só mesmo se forem obrigados".

O Governo escondido "atrás das chamadas contas certas", continuou, "assobiou para o lado" e "chutou para a frente" quando confrontado com os problemas do país, na ótica do PEV.

"Com toda a responsabilidade, nós estendemos a mão ao Governo. Demos uma oportunidade ao Governo. Não para o salvar, mas para responder aos problemas dos portugueses", completou, por essa razão, o partido vai votar contra.

Ver comentários