Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Setor do Turismo deve regressar em 2023 aos números de antes da pandemia, defende secretária de Estado

Rita Marques recordou que em 2017 foi definida "uma nova agenda" para o turismo e que estratégia "continua atual".
Lusa 19 de Outubro de 2021 às 20:10
Rita Marques, secretária de Estado do Turismo
Rita Marques, secretária de Estado do Turismo FOTO: Lusa
A secretária de Estado do Turismo de Portugal, Rita Marques, afirmou esta terça-feira em Madrid que o Governo espera que o setor regresse em 2023 aos valores que faturou em 2019, antes da pandemia de covid-19.

"Em minha opinião, 2023 será um ano muito importante, pois acredito que seja o ano em que recuperaremos integralmente da quebra de procura causada por esta pandemia", disse Rita Marques numa mesa redonda em que participou com o seu homólogo espanhol, Fernando Valdés, para debater a colaboração transfronteiriça em termos de políticas de turismo.

Os dois governantes defenderam que os países ibéricos devem trabalhar em conjunto na atração dos turistas estrangeiros.

"Estamos numa posição privilegiada para mostrar que o mercado turístico ibérico pode ser trabalhado em conjunto", afirmou Rita Marques, acrescentando que esse trabalho coordenado entre os dois países já era feito antes da pandemia.

A secretária de Estado portuguesa recordou que em 2017 foi definida "uma nova agenda" para o turismo nacional e que depois da pandemia essa estratégia "continua atual".

O Governo português definiu há quatro anos que era necessário lutar contra a sazonalidade do setor, apostar no turismo em todo o território e diversificar o produto turístico, acrescentando-lhe valor.

Rita Marques considerou que a gastronomia ou os vinhos são ofertas "importantes que distinguem" o país, mas que também é necessário apostar em "novos eventos", tendo dado exemplos os subsetores de eventos corporativos, desportivos e termais, cuja procura aumentou depois da pandemia.

"Temos vantagem em fazer propostas em conjunto com Espanha. Por exemplo, eventos que se realizam um ano num país e em seguida no outro", afirmou a governante portuguesa.

Rita Marques afirmou que Portugal e Espanha têm "muitas coisas em comum e também complementares", tendo acrescentado que um turista pode chegar por Lisboa e sair por Madrid, depois de visitar os dois países.

"Temos que saber aproveitar as sinergias que se podem gerar entre os nossos países para o fluxo de turistas na Península Ibérica", disse.

A secretária de Estado incentivou a presidência espanhola do Conselho da União Europeia em 2023 a continuar o trabalho da presidência portuguesa do primeiros semestre do corrente ano.

Na presidência portuguesa foram dados passos para preparar uma "Agenda Europeia para o Turismo 2030/2050", recordou Rita Marques, que agora espera que a estratégia esteja pronta a tempo de a Espanha, em 2023, a possa executar "com o apoio das instituições europeias e dos Estados-membros".

Ver comentários