Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Ventura recusa pedir desculpas por chamar "bandidos" a família do Seixal

Líder do Chega está em tribunal após ser processado pordeclarações feitas durante debate com Marcelo.
João Maltez e Catarina Cascarrinho 11 de Maio de 2021 às 08:39
Líder do Chega no tribunal, onde respondeu por ofensa a uma família
Líder do Chega no tribunal, onde respondeu por ofensa a uma família FOTO: Lusa
O presidente do Chega, André Ventura, declarou esta segunda-feira em tribunal que não pretendia ofender a família do Bairro da Jamaica, no Seixal, a quem se referiu como “bandidos” durante um debate com Marcelo Rebelo de Sousa, mas admitiu que voltaria a dizer o mesmo. Explicou ainda que não vê necessidade de pedir desculpa pelas afirmações feitas.

Interrogado no âmbito de um processo por ofensas à honra e direito à imagem, movido por sete membros da família visada, Ventura declarou que não fica feliz ao ouvir que as suas palavras ofenderam.

Perante o tribunal, uma das requerentes, Vanusa Coxi, disse que se sentiu “ultrajada porque metade das coisas que foram ditas [no debate] não são verdade”. Afirmou que a forma como Ventura classificou a sua família “foi uma ofensa”, pelo que requer um pedido de desculpas, e salientou que o seu familiar [diretamente visado] “foi ilibado das acusações que lhe foram feitas”.

À saída do tribunal, Ventura afirmou que não precisa de pedir desculpa, por entender que não errou. “Se eu achasse que tinha errado, não tinha problema nenhum em pedir desculpa”, explicou.
Ver comentários