Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

300 mil utentes mudam de centros de saúde em Lisboa

Novos edifícios visam substituir instalações que hoje funcionam em prédios de habitação.
João Saramago 15 de Março de 2017 às 08:36
Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa
Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa
O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina
Fernando Medina
Fernando Medina
Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa
Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa
O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina
Fernando Medina
Fernando Medina
Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa
Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa
O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina
Fernando Medina
Fernando Medina
Lisboa vai criar 14 novos centros de saúde até 2020, num projeto orçado em 30 milhões de euros, que visa substituir, na maior parte dos casos, instalações que funcionam em prédios de habitação. A mudança obriga à deslocação de cerca de 300 mil utentes, que hoje se encontram repartidos por 17 unidades.

A atual Unidade de Cuidados de Saúde Primários do Lumiar é um dos exemplos da alteração profunda que o plano implica. Com o fecho das instalações, os utentes serão repartidos por três novos espaços: as Unidades de Saúde de Telheiras e de Alta de Lisboa-Norte e também o Hospital Pulido Valente.

Sobre o futuro das 17 atuais unidades abrangidas pela restruturação, fonte da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo referiu que a "uma distância de três anos não é ainda possível precisar se todas irão encerrar".
Para o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, a construção e reabilitação destas unidades é possível porque a "câmara tem condições financeiras sólidas que permitem avançar com o investimento".

A primeira mudança deverá ocorrer já no próximo mês com a deslocação para um edifício de serviços sociais da câmara, em Arroios, das unidades da Alameda e da Penha de França. Na apresentação do projeto, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, referiu que passados vinte anos da realização da Expo’98, será por fim criada uma Unidade de Saúde no Parque das Nações. Está ainda prevista a criação de mais 49 unidades, das quais 20 em Lisboa e Vale do Tejo, 12 no Norte, 15 no Centro, uma no Alentejo e outra no Algarve.

Ver comentários