Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Encontro de concertinas reúne cem tocadores

Desde o início do século que a freguesia de Vilela realiza iniciativa de valorização deste instrumento tradicional.
Secundino Cunha 20 de Junho de 2016 às 08:41
Agostinho Cunha (à direita) foi o fundador do Encontro de Concertinas de Vilela e participará na edição deste ano
Agostinho Cunha (à direita) foi o fundador do Encontro de Concertinas de Vilela e participará na edição deste ano
No primeiro domingo de julho (dia 3), a freguesia de Vilela, da União de Freguesias de Vilela, Seramil e Paredes Secas, no concelho de Amares, transforma-se na capital das concertinas deste município, terra de Cister e berço do templário D. Gualdim Pais.

Trata-se do 15º Encontro de Concertinas de Vilela, organizado pela Associação Cultural e Recreativa da freguesia e que, a exemplo de anos anteriores, deve juntar mais de uma centena de tocadores, oriundos das mais diversas partes do Minho.

A festa começa com um almoço, oferecido pela organização e cujo prato principal é javali, comprado numa batida realizada recentemente na zona de caça associativa da vizinha freguesia de Paranhos.

A partir das 14h30, a solo ou em grupo, os tocadores sobem ao palco para mostrarem aos restantes e ao povo que estiver a assistir a habilidade e mestria na execução musical de um instrumento que, apesar de oriundo do Leste da Europa, se enraizou profundamente no Norte de Portugal e, em particular, na região do Minho.

O Encontro de Vilela, fundado no ano 2000 por Agostinho Cunha, conta este ano com um apoio mais explícito e generoso por parte da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal de Amares. O orçamento ronda os 2500 euros.

"Trata-se do encontro de concertinas do concelho de Amares, que nós incentivamos e acarinhamos, uma vez que a concertina faz parte das nossas tradições culturais e musicais", diz o presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreia. Para o presidente da junta, Rui Tomada, "vai ser um dia de festa e de tributo à cultura".