Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

GNR em prova de triatlo pelas crianças do IPO

Militar aprendeu a nadar para demonstrar aos pequenos doentes oncológicos que é possível ultrapassar dificuldades.
Manuel Jorge Bento 24 de Setembro de 2018 às 08:32
Francisco Caldas, à direita
GNR
Francisco Caldas, à direita
GNR
Francisco Caldas, à direita
GNR
Francisco Caldas é militar da GNR, em Ovar, e voluntário da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Juntamente com seis amigos, participa, no domingo, na prova de triatlo Ironman 70.3, em Cascais, com uma mensagem para os pequenos utentes do IPO do Porto.

"É uma forma de lhes mostrar que é possível ultrapassar a doença, com trabalho e dedicação. Eu não sabia nadar, o que era um desafio para mim, da mesma forma que eles têm que fazer os tratamentos para vencerem o problema de saúde que têm", afirmou o militar ao CM.

A participação na prova vai ainda promover o projeto Resistentes, uma equipa de futebol da Pediatria do IPO criada pelo voluntário Alberto Nogueira e que tem o intuito de promover a prática desportiva, aumentando a autoestima das crianças em tratamento. O objetivo da ida a Cascais é comprovar a todas as crianças e pais que diariamente vivem a dura luta no tratamento da doença que não há impossíveis e que acreditar é sempre o melhor caminho. "A palavra impossível foi inventada por alguém que um dia desistiu", indica Francisco Caldas.

O militar junta-se a Sérgio Pinho, Sérgio Mota, Paulo Reis, Paulo Rola, Urbino Santos e Paula Regina na mítica prova, que obriga os atletas a nadar 1,9 quilómetros, a pedalar 90 quilómetros e a correr 21 quilómetros em menos de oito horas e meia.

"A aprendizagem que levamos nesta preparação é que, quando se quer muito uma coisa, é preciso lutar, acreditar e, sempre que possível, concretizar. E estas crianças não deixam de o ser por estarem, atualmente, doentes", referiu Francisco Caldas.
Ver comentários