Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Hospital de Lisboa Oriental vai avançar até final do ano

Ministério da Saúde tenciona avançar com novo concurso público “até ao final deste ano”.
José Rodrigues 29 de Fevereiro de 2016 às 08:16
Imagem do futuro Hospital de Lisboa Oriental, ou Hospital de Todos os Santos, na zona de Chelas
Imagem do futuro Hospital de Lisboa Oriental, ou Hospital de Todos os Santos, na zona de Chelas FOTO: DR
O Governo tem "intenção de avançar com um novo concurso público para a construção do novo hospital de Lisboa, em Chelas, "até ao final deste ano". Fonte do gabinete do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, revelou ao CM que o Hospital de Lisboa Oriental "é de facto uma prioridade para o Governo e já foi iniciada a retoma do processo para estudo do projeto, programa e financiamento".

A criação deste hospital é uma peça fundamental da reestruturação da rede hospitalar de Lisboa, com implicações no Plano de Ação Territorial da capital, particularmente da colina de Santana, onde se encontram 4 hospitais (Stª Marta, Capuchos, Miguel Bombarda e Desterro), vendidos em 2009 pelo Ministério da Saúde à empresa pública Estamo. Atenta a este problema, a presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Helena Roseta, questionou o vereador do Planeamento e Urbanismo sobre o assunto. Num documento a que o CM teve acesso, Manuel Salgado responde dizendo que, no caso do novo hospital, "há um cenário de incerteza que deve ser esclarecido" e que "aguarda a definição estratégica governamental". Até lá, acrescenta, "continuar-se-á o desenvolvimento da proposta do PAT".

Questionado sobre as questões do património da colina de Santana (gestão dos terrenos dos 4 hospitais), o Ministério da Saúde respondeu que "estão a ser estudadas", mas, acrescentou, "não dependem apenas do Ministério da Saúde". A construção do Hospital Oriental, para substituir os hospitais de S. José, Capuchos, Santa Marta, Curry Cabral e Estefânia, poderá, segundo disse na passada quinta-feira o ministro da Saúde, "corresponder a uma poupança anual de 48 milhões de euros".
Ver comentários