Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Moradores pagam 871 euros para ter água em casa

Cada um dos 30 condóminos de um prédio em Fânzeres tem de pagar ligações de água e saneamento, num total de 26 mil euros.
Manuel Jorge Bento 12 de Novembro de 2017 às 09:35
Água e saneamento
Água e saneamento FOTO: Direitos Reservados
A Águas de Gondomar exige o pagamento de 871 euros a cada cidadão que peça uma primeira ligação de saneamento e água a uma habitação. Só num prédio novo, na rua de Timor, em Fânzeres, a concessionária cobra, ao todo, mais de 26 mil euros aos 30 condóminos.

"Neste concelho, os contadores devem ser de platina", ironiza Vítor Mota, um dos moradores, revoltado.

A empresa indica que o tarifário foi aprovado pela entidade reguladora.

"Alegando que era um prédio novo, o funcionário da Águas de Gondomar disse que tínhamos de pagar a ligação de saneamento, que são 266,43 euros mais IVA, e a ligação da água, que é 441,67 euros mais IVA. Eu disse-lhe que já estava tudo ligado pelo construtor, então só teria de pagar a colocação de contador, que era 50,74 euros mais IVA, mas respondeu que não, tinha de pagar os 870,99 euros", contou o morador, que já pediu uma audiência com o presidente da câmara municipal, Marco Martins.

"São os preços que estão a ser praticados, calculados aquando da concessão (2002), sujeitos a fatores de atualização, e são os valores que asseguram a sustentabilidade da concessão, que é por 30 anos", explicou ao CM Maurício Rocha, diretor financeiro da Águas de Gondomar.

O responsável referiu ainda que os cidadãos podem requerer o pagamento do valor em várias prestações para que o ‘rombo’ nas contas familiares seja mais moderado.

"Na minha antiga casa, que tinha comprado em Valongo, nas mesmas condições, só tinha de pagar 53,38 euros pela colocação do contador. É inadmissível", concluiu o morador.
Gondomar rua de Timor Águas Fânzeres Valongo política economia negócios e finanças autoridades locais
Ver comentários