Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

“Negligência grosseira” originou queda de grua no Porto

Presidente de Sindicato de Construção de Portugal quer criar comissão de fiscalização.
Ágata Rodrigues 23 de Abril de 2019 às 09:01
Albano Ribeiro acusa o dono da obra da grua de Porto de 'negligência grosseira'
Grua cai e danifica quatro casas no centro do Porto
 Grua cai e danifica casas no centro do Porto
Grua danifica casas no Porto
Albano Ribeiro acusa o dono da obra da grua de Porto de 'negligência grosseira'
Grua cai e danifica quatro casas no centro do Porto
 Grua cai e danifica casas no centro do Porto
Grua danifica casas no Porto
Albano Ribeiro acusa o dono da obra da grua de Porto de 'negligência grosseira'
Grua cai e danifica quatro casas no centro do Porto
 Grua cai e danifica casas no centro do Porto
Grua danifica casas no Porto
As fotografias captadas no local da queda de uma grua na zona das Fontainhas, Porto, no sábado, mostram que esta estrutura não estava devidamente suportada por uma sapata - estrutura de apoio que assenta no chão - adequada para o efeito.

A denúncia de "negligência grosseira" é feita pelo Presidente do Sindicato de Construção de Portugal, que foi ao local na altura do acidente. Uma família ficou desalojada e nove casas danificadas.

"Estas fotografias mostram claramente que esta sapata está obsoleta e esta grua devia estar há muitos anos na Siderurgia Nacional. Para além disso, as cavilhas que ligavam a sapata à torre saltaram" explicou Albano Ribeiro, presidente do Sindicato da Construção de Portugal.

"Esta segunda queda de grua é preocupante. Já são duas da mesma empresa, por isso, temos uma solução para apresentar" acrescentou.

Este é o segundo caso de queda de uma grua em apenas dois meses no Porto. O primeiro caso verificou-se a 10 de fevereiro, na rua da Torrinha, tendo duas pessoas ficado desalojadas. A proposta do Sindicato passa por fiscalizar todas as gruas da cidade, de forma a evitar acidentes.

Para isso, quer criar uma comissão quadripartida, com representação da autarquia, sindicato, ACT (Autoridade para as Condições do Trabalho) e Associação Patronal. O próximo passo será uma reunião com a Associação Nacional dos Municípios Portugueses.

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, esteve no local do último acidente e fez saber que vai pedir ao Governo a alteração das condições para a licença deste tipo de equipamentos.
Ver comentários