Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Primeiro bispo de Viana regressa à Sé da cidade

D. Júlio Tavares Rebimbas foi bispo fundador da diocese de Viana do Castelo, em 1977.
Secundino Cunha 6 de Janeiro de 2018 às 07:37
D. Júlio Tavares Rebimbas
D. Júlio Tavares Rebimbas
D. Júlio Tavares Rebimbas
D. Júlio Tavares Rebimbas
D. Júlio Tavares Rebimbas
D. Júlio Tavares Rebimbas

O sarcófago que acolherá e guardará o corpo incorrupto de D. Júlio Tavares Rebimbas será de mármore branco de Estremoz, exibindo o nome, datas e armas episcopais de arcebispo, a cores. Assentará numa base de ferro lacado e ficará exposto ao público." O extrato da nota da diocese de Viana do Castelo revela que o corpo do seu primeiro bispo não se decompôs e que, depois da trasladação, que decorre amanhã, pelas 15h30, ficará exposto ao público, na Sé Catedral.

Será um dia de festa na capital do Alto Minho. A diocese celebra 40 anos e o seu primeiro prelado, D. Júlio Tavares Rebimbas, que entrou solenemente na cidade a 7 de janeiro de 1978, vai inaugurar o panteão da catedral vianense.

D. Júlio Tavares Rebimbas nasceu em 1922 na freguesia de S. Mateus de Bunheiro, concelho da Murtosa, então diocese do Porto. Em 1965, foi nomeado bispo do Algarve por Paulo VI e, em 1972, o Papa nomeou-o arcebispo auxiliar do patriarca de Lisboa, D. António Ribeiro.

Mais tarde, em finais de 1977, tornou-se o bispo fundador da diocese de Viana do Castelo, cujo território acabara de integrar a arquidiocese de Braga. A entrada na cidade ocorreu a 8 de janeiro de 1978 - faz na segunda-feira 40 anos.

O prelado, um dos mais marcantes do episcopado português das últimas décadas do século passado, foi nomeado bispo do Porto em 1982, cargo que manteve ao longo de 15 anos, até 1997. Por ser arcebispo, era designado por arcebispo bispo do Porto. Regressou à sua terra, na Murtosa, onde faleceu a 6 de janeiro de 2010, faz hoje precisamente 8 anos. Amanhã é trasladado para Viana do Castelo.

Ver comentários