Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Tribunal para comércio já funciona em Lagoa

Estrutura da Comarca de Faro está a funcionar na antiga escola EB 2,3 da cidade.
Tiago Griff 26 de Abril de 2019 às 08:29
Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
 Francisca Van Dunem visita Tribunal do Comércio da Comarca de Lagoa
O novo Juízo de Comércio, situado em Lagoa, vai arrancar com julgamentos depois das férias judiciais, em setembro próximo, depois desta estrutura da Comarca de Faro ter sido inaugurada na passada terça-feira pela ministra da Justiça.

O espaço representa um investimento de 380 mil euros por parte da autarquia, que cedeu a antiga escola EB 2,3 para acolher o serviço.

"As obras de construção que foram necessárias para a adequação do edifício às novas funções foram asseguradas pela autarquia. Os trabalhos incluíram a instalação de eletricidade, chão, tetos e as pinturas", revelou Francisco Martins, presidente da Câmara de Lagoa.

Este Juízo de Comércio vem juntar-se ao de Olhão, sendo os únicos do Algarve que estão dedicados à Justiça Económica. "Trata-se de um novo espaço que agora vai aliviar e modernizar o processo. É uma nova estruturação do processo judicial a sul e, por razões relacionadas com acessibilidades, seria útil abrir um novo polo no barlavento", referiu a ministra da Justiça Francisca Van Dunem, durante a inauguração.

A estrutura já está em funcionamento, mas os julgamentos só vão ter ali lugar após as férias judiciais, durante o mês de setembro. No espaço inaugurado já trabalham cerca de 10 funcionários. As instalações foram renovadas e têm duas salas de audiências.

"Este projeto é um exemplo da cooperação virtuosa entre o poder local e o poder central, até porque a disponibilidade das autarquias é essencial pois sabem identificar melhor os espaços existentes dentro dos seus concelhos", disse ainda a governante.
Ver comentários