Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Visitar o Castelo de Guimarães vai passar a custar 2€

Câmara realiza obras no monumento.
Secundino Cunha 30 de Janeiro de 2016 às 19:34
Castelo de Guimarães é um dos monumentos mais conhecidos de Portugal e a torre volta a ser visitável na primavera
Castelo de Guimarães é um dos monumentos mais conhecidos de Portugal e a torre volta a ser visitável na primavera FOTO: Simão Filho
A torre de menagem do Castelo de Guimarães reabre ao público na próxima primavera, depois da realização de um conjunto de obras de beneficiação que melhoraram as condições de acessibilidade e de segurança, e o acesso, que era gratuito, passará a ter um custo de dois euros.

Para além da visita ao ‘castelo da nacionalidade’, cuja torre está fechada há um ano por razões de segurança, o bilhete dá também acesso a um Centro de Interpretação, que permitirá ao visitante ficar a conhecer a história deste castelo e das personagens a ele ligadas, como a condessa Mumadona Dias, fundadora da cidade de Guimarães, ou D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal.

A intervenção, no valor de 450 mil euros, foi financiada por fundos comunitários, tendo a contrapartida nacional sido coberta pela Fundação Millennium BCP, ao abrigo da lei do mecenato.

Recentemente, o município de Guimarães, em parceria com a Direção Regional de Cultura do Norte, efetuou um conjunto de intervenções no ‘monte latito’, que realçaram a beleza arquitetónica do castelo e do paço dos duques.

Além do reforço da iluminação exterior dos dois monumentos, foi remodelado o mobiliário urbano, foram colocadas passadeiras e rampas de acesso para pessoas com necessidades especiais e beneficiado o telhado do paço dos duques.

O plano de beneficiação contemplou ainda outras intervenções, como a construção de uma plataforma em pedra no campo de São Mamede ou a requalificação dos percursos e espaços verdes existentes.

O orçamento deste vasto conjunto de obras na chamada colina sagrada atingiu um valor global de dois milhões de euros, sendo 80 por cento da verba comparticipada pelos fundos comunitários.

Castelo de Guimarães Centro de Interpretação Mumadona Dias D. Afonso Henriques Fundação Millennium BCP
Ver comentários