Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Tudo o que se sabe sobre a morte brutal de Carlos Castro às mãos de Renato Seabra

Liberdade é uma miragem para o ex-manequim português. O homicídio macabro em Nova Iorque colocou Seabra atrás das grades, onde poderá ficar até ao fim da vida.
Correio da Manhã 23 de Abril de 2021 às 18:55
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
Renato Seabra tinha 21 anos quando matou Carlos Castro
O crime teve lugar a 7 de janeiro de 2011, no quarto 3416, no 34º andar do Hotel Intercontinental, em Nova Iorque. O cronista social de 65 anos, Carlos Castro, tinha conhecido o modelo Renato Seabra poucas semanas antes. O jovem de Cantanhede recebeu de Castro uma mensagem via Facebook em outubro de 2010. Oferecia-lhe ajuda para a sua carreira de modelo. Este aceitou a ajuda e o romance entre os dois começou logo a partir do primeiro encontro.



O cronista social confessou aos amigos estar perdidamente apaixonado por Seabra. Este era mais discreto na admissão pública do romance, mas não hesitou em aceitar o convite de ir passar o Ano Novo a Nova Iorque com o jornalista. Viveram dias intensos em que tudo parecia bem. Foram ao teatro, fizeram compras nas melhores lojas, privaram com amigos de Castro que os acharam felizes.

O que aconteceu naquela tarde já foi contado ao pormenor, até em filme. Seabra continua a dizer aos amigos e familiares que não sabe o que aconteceu no episódio que lhe mudou a vida, aos 21 anos. Não tem memória de ter espancado brutalmente o amante. De o ter esmurrado até lhe partir os ossos da cara, de ter atirado um televisor contra o peito e cabeça; de ter partido uma cadeira no corpo da vítima nem de a ter mutilado com um saca rolhas - cortando-lhe uma orelha, o escroto e os testículos.

A vida dura da prisão já levou Seabra a tentar o suicídio em pelo menos duas ocasiões. Só daqui a alguns anos é que Renato Seabra pode ser sujeito a reavaliação de pena. Em 2036 terá 46 anos e tem a primeira hipótese de sair em liberdade. Mas não é certo que tal aconteça. Se os tribunais americanos assim o entenderem, o jovem português continuará preso, sujeito a revalidações de dois em dois anos. No limite, até ao final da sua vida.

Tentou cumprir pena em Portugal
Renato Seabra tentou vir para Portugal cumprir a pena a que foi condenado - por matar e mutilar com um saca-rolhas o cronista social Carlos Castro, em 2011, numas férias em Nova Iorque - mas a lei portuguesa não o permitiu. Os Estados Unidos exigiam que o ex-manequim, condenado a pena de 25 anos a perpétua, tivesse de cumprir no mínimo os 25 anos, algo que o nosso País não permite porque é obrigatório libertar aos 5/6 da pena, logo antes do final dessa pena máxima. Seabra está numa cadeia de alta segurança onde cumprem pena os condenados pelos crimes mais graves nos EUA.

O ex-modelo não tem recebido a visita da mãe Odília Pereirinha devido à pandemia. A enfermeira de Cantanhede ainda foi viver para Nova Iorque, logo a seguir ao crime, mas o elevado custo de vida obrigou-a a regressar a Portugal. Ultimamente, visitava o filho de três em três meses. Renato já teve vários surtos psicóticos. O homicida, atualmente com 31 anos, tem poucas horas para ir ao recreio e quando vai é com as mãos e pés algemados. Está empenhado nas atividades da prisão, nomeadamente na confeção de roupas, e ainda ajuda na missa.

"Nos dias difíceis peço ajuda a Deus": A carta de Renato Seabra
"Há dias que me sinto tão deprimido que não me apetece fazer nada. Nesta idade em que as pessoas fazem planos para a vida, eu somente posso rezar e pedir a Deus para fazer uma milagre e reduzir a minha sentença. Se Deus quiser, vai acontecer algo de bom. Tem de se ter fé."

Renato Seabra escreveu esta carta em 2013, apenas um ano depois de saber que o resto da sua vida pode ser passado numa das piores cadeias norte-americanas. E é nessa prisão que vai ficar pelo menos até ao ano de 2036.

Como era e como estará o português
O CM revela como estará Renato Seabra dez anos depois de ter entrado na cadeia.

A data para a decisão da liberdade condicional
Já há data para a decisão da liberdade condicional de Renato Seabra. Os tribunais americanos já agendaram a sessão. Vai acontecer em setembro de 2035 e nesse dia Renato Seabra pode receber a notícia da sua libertação, ainda antes do dia 1 de março de 2036 dia em que cumpre os 25 anos de pena mínima a que foi condenado pelo homicídio de Carlos Castro.

Há várias condições para a cedência da liberdade condicional, desde logo o bom comportamento que parece estar a cumprir à risca na prisão Clinton Correctional Facility onde está preso e o arrependimento. Nessa audiência os juízes também vão decidir a sua deportação para portugal.

Ver comentários