Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Acessos reclamados a Entre-os-Rios estão incluídos no Plano de Recuperação e Resiliência

Conclusão do IC35 e a ligação da variante da EN222 ao nó de Canedo da A32 estão incluídas no PRR.
Manuel Jorge Bento 7 de Março de 2021 às 20:19
Local onde deveria continuar a variante à EN222
Local onde deveria continuar a variante à EN222 FOTO: Direitos reservados

A conclusão do IC35 e a ligação da variante da EN222 ao nó de Canedo da A32 estão incluídas no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), a ser executado com os fundos da 'bazuca europeia'. São duas empreitadas de acessibilidades reclamadas há décadas pela população de Entre-os-Rios, Penafiel, e Castelo de Paiva, desde a queda da ponte Hintze Ribeiro, que provocou 59 mortos, a 4 de março de 2001.

O IC35 integra a rubrica 'Missing links e aumento de capacidade da rede' do PRR. Inclui a concretização das ligações Penafiel (EN15) - Rans, Rans - Entre-os-Rios e Sever do Vouga-IP5 (A25). As populações de Castelo de Paiva, Penafiel, Cinfães e Marco de Canaveses reclamavam a ligação à autoestrada A4, em Penafiel.

Já a ligação da variante da EN222 à A32, entre Pedorido e o nó de Canedo da autoestrada (8,8 quilómetros de extensão) consta da rubrica 'Áreas de Acolhimento Empresarial - Acessibilidades Rodoviárias', sendo descrita como "melhoria das acessibilidades à Área de Localização Empresarial de Lavagueiras". Nesta fase, segundo o município de Castelo de Paiva, "decorre o Projecto de Execução da Obra, a cargo da Infraestruturas de Portugal, sendo que esta intervenção vai permitir aproximar o parque empresarial dos principais eixos rodoviários, beneficiando o transporte de pessoas e mercadorias mais eficiente e segura", com um traçado que atravessa os concelhos de Santa Maria da Feira, Gondomar e Castelo de Paiva. A empreitada tinha sido considerada "não prioritária" pela Estradas de Portugal, no final de 2014.

"Agora não temos a justificação da questão financeira para as obras não avançarem, porque estamos a ser brindados com a solução financeira, que é essencial. Mesmo estando em processo de discussão pública, será seguramente incluído", sublinhou Gonçalo Rocha, presidente da Câmara de Castelo de Paiva. O autarca diz ser necessário "desbloquear a questão burocrática do processo e também a parte administrativa". Com o financiamento das duas obras reclamadas há largos anos assegurado a 100% no Plano de Recuperação e Resiliência, Gonçalo Rocha refere que o primeiro-ministro, António Costa, e o ministro da Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, "fizeram um excelente trabalho".

A ponte Hintze Ribeiro colapsou há 20 anos, arrastando 59 pessoas para a morte, das quais 36 corpos nunca foram encontrados.

Ver comentários