Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Algarve já apanhou 27 mil quilos de haxixe este ano

Quantidade apreendida desta droga é oito vezes superior a todo o ano de 2019.
Rui Pando Gomes e Tiago Griff 20 de Setembro de 2020 às 10:35
Fardos intercetados pela GNR e PJ em Portimão
Fardos intercetados pela GNR e PJ em Portimão FOTO: Nuno Alfarrobinha
Desde o início do ano já foram apreendidas mais de 27 toneladas de haxixe na região do Algarve, que poderiam valer no mercado mais de 40 milhões de euros. Esta quantidade é quase oito vezes superior à apreendida durante todo o ano passado, que rondou as 3,2 toneladas intercetadas.

O ano começou com a apreensão de 3,5 toneladas de haxixe dentro de uma embarcação, ao largo do Cabo de São Vicente, pela Polícia Judiciária (PJ), com o apoio da Marinha e da Força Aérea. Em fevereiro, duas toneladas de haxixe foram apreendidas pela Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR e pela Polícia Judiciária (PJ) na praia do Alemão, em Portimão. Em março, a UCC intercetou quase quatro toneladas, em Cabanas de Tavira. Em junho, na praia do Barril, a PJ e a UCC apreenderam 1,4 toneladas.

Poucos dias depois, uma embarcação de alta velocidade que transportava 42 fardos de haxixe, correspondendo a cerca de 1,4 toneladas, foi apreendida pela UCC no rio Guadiana, em Vila Real de Santo António. Em julho, a PJ apreendeu 840 quilos de haxixe, em Silves. Nesse mês desmantelou uma rede internacional que usava o Algarve como plataforma logística para o tráfico, com a apreensão de quase sete toneladas de droga.

Em setembro, a UCC recuperou 2,5 toneladas de haxixe atiradas para o rio Guadiana. Na semana passada, a Polícia Marítima (PM) e a PJ intercetaram no porto de Quarteira, cerca de cinco toneladas. Um dos detidos é um agente da PM.
PJ Algarve Polícia Judiciária UCC Guadiana PM questões sociais política autoridades locais
Ver comentários