Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Álvaro Sobrinho paga caução de seis milhões de euros, a mais alta de sempre em Portugal

Antigo banqueiro é suspeito de ter desviado mais de 500 milhões de euros do BES Angola.
Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 20 de Maio de 2022 às 21:58
Álvaro Sobrinho foi presidente do BESA entre 2001 e o final de 2012, depois de ter sido quadro do BES em Lisboa
Álvaro Sobrinho foi presidente do BESA entre 2001 e o final de 2012, depois de ter sido quadro do BES em Lisboa FOTO: Vitor Mota
Álvaro Sobrinho, suspeito de ter desviado mais de 500 milhões de euros do BES Angola, entidade que presidiu entre 2010 e 2013, já pagou a caução milionária a que estava sujeito no âmbito de uma certidão extraída de processo autônomo ao que investiga o caso BES/GES. Estava há dois meses impedido de sair do país até que pagasse uma caução de seis milhões de euros. Ao que o CM apurou, Álvaro já fez o pagamento para uma conta do Estado.

A caução imposta pelo juiz Carlos Alexandre foi a mais alta de sempre em Portugal.

Álvaro Sobrinho passa a poder circular no espaço europeu enquanto o inquérito do Ministério Público decorre.

De relembrar que também o antigo ministro Manuel Pinto estava sujeito a uma caução milionária do mesmo valor, no entanto está em prisão domiciliária por não conseguir pagar a quantia.

Sabe o CM que o pagamento foi depositado numa conta da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e feito há uma semana.
Álvaro Sobrinho BES Angola Portugal Estado economia negócios e finanças macroeconomia
Ver comentários
}