Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Ataca à sacholada por causa de água

Virgínia Henriques, a irmã e o pai desentenderam-se com vizinhos.
Fátima Vilaça 3 de Junho de 2015 às 13:50
Docente universitária, a irmã e o pai serão julgados no Tribunal de Braga
Docente universitária, a irmã e o pai serão julgados no Tribunal de Braga FOTO: Eduardo Martins
Há muitos anos que as duas famílias viviam de costas voltadas devido à partilha da água em terrenos que ambas possuíam na freguesia da Caniçada, Vieira do Minho. Em julho de 2012, os ânimos exaltaram-se, e Casimiro Fernandes e a mulher, Sandra Dias, foram agredidos a tiro e à sacholada. A docente universitária Virgínia Henriques, de 52 anos, e a irmã, Ana, de 45, estão agora acusadas de ofensas à integridade física. O pai, Manuel Henriques, 79 anos, responde pelo crime de homicídio qualificado, na forma tentada, e está acusado ainda de omissão de auxílio e posse de arma ilegal.

A disputa pela água era já uma questão antiga e tinha até sido alvo de uma decisão judicial. No entanto, Manuel nunca aceitou a sentença e tentava impedir que os vizinhos utilizassem a água.

No dia 7 de julho de 2012, quando Sandra se dirigia para o campo, para "virar a água", apareceram as duas arguidas e, "de sachola na mão, lançaram-se sobre a ofendida", refere a acusação. Alertado pelos gritos da mulher, Casimiro foi em seu socorro e foi atingido no queixo pelo disparo de uma pistola que Manuel trazia no bolso. Pai e filhas foram depois para casa, deixando a vítima a sangrar. Os arguidos pediram abertura de instrução, mas o juiz decidiu levá-los a julgamento. O caso será julgado em breve, em Braga.
Caniçada Vieira do Minho ofensas integridade física homicídio crime lei e justiça tribunal julgamento Braga
Ver comentários