Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Banco assaltado na baixa da cidade

Um indivíduo jovem, de cara destapada com óculos escuros e um boné a disfarçar as feições, assaltou ontem à mão armada a dependência do Banco Português de Investimento (BPI) na rua Vasco da Gama, na baixa de Faro.
27 de Março de 2008 às 00:30
O assaltante, após o roubo, fugiu a pé, por uma das mais movimentadas artérias da capital algarvia
O assaltante, após o roubo, fugiu a pé, por uma das mais movimentadas artérias da capital algarvia FOTO: Rui Pando Gomes
Empunhando uma faca e uma pistola, com que ameaçou a funcionária do banco, o assaltante levou o dinheiro que lhe foi entregue, num montante não revelado, mas que deverá rondar os mil a dois mil euros e, rapidamente, fugiu a pé, não mais sendo visto.
Eram cerca das 08h50 e o banco tinha meia dúzia de funcionários no seu interior. O assaltante esperou a saída do único cliente presente na altura, segurou a porta e entrou calmamente. Só depois ameaçou a funcionária que "não ganhou para o susto", disse ao CM, fonte que pediu o anonimato. A bancária, em resposta às ameaças do indivíduo e cumprindo ordens em caso de assalto, não ofereceu resistência. Entregou ao indivíduo um maço de notas e este saiu sem mais palavras.
APSP, cuja esquadra se situa a escassos 800 metros do banco, respondeu, de pronto, ao alarme accionado no balcão. Vários elementos policiais rebuscaram, em vão, os caixotes de lixo das redondezas na esperança de encontrar roupa abandonada pelo assaltante em fuga e efectuaram rondas pela cidade mas não encontraram nenhum suspeito. O caso foi depois entregue à Polícia Judiciária, que fez deslocar dois inspectores ao local.
TRÊS ASSALTOS ESTE MÊS
O assalto de ontem à agência do BPI em Faro foi o terceiro ocorrido este mês na região. O modus operandi é muito idêntico, pelo que as autoridades não colocam de parte a hipótese de se tratar do mesmo indivíduo. É jovem, tem bom aspecto, opera sempre sozinho, na parte da manhã, de cara descoberta, mas que procura ocultar com óculos, boné ou gorros, dirige-se a uma caixa do banco, sempre a uma funcionária, que ameaça, com uma faca e uma pistola e, rapidamente, foge a pé, ou num motociclo, com o dinheiro que lhe é facultado. Os outros assaltos ocorreram dia 12, na Caixa Geral de Depósitos de Vilamoura e, no dia 20, no balcão da Caixa de Crédito Agrícola de Almancil.
Ver comentários