Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Buscas a empresas ligadas ao FC Porto e Portimonense por suspeitas de branqueamento

Judiciária avança para o terreno após queixa anónima.
Tânia Laranjo 11 de Setembro de 2021 às 09:17
Polícia Judiciária investiga o caso
Polícia Judiciária investiga o caso
A Polícia Judiciária fez esta semana várias buscas a empresas relacionadas com o FC Porto e o Portimonense. Em causa está a investigação que visa Theodoro Fonseca, o maior acionista individual do clube algarvio, por suspeita de envolvimento num esquema de transferências com os azuis-e-brancos.

Os negócios poderão configurar crimes de fraude fiscal e branqueamento de capitais, após terem sido detetados negócios suspeitos entre os dois emblemas, entre eles as transferências de jogadores como Danilo Pereira, Paulinho, Galeno, Fede Varela, Rafa Soares ou Everton.

O processo, que corre no Departamento Central de Investigação e Ação Penal, é titulado pela Judiciária, que também já fez buscas no Estádio do Dragão, Porto. Nasceu de uma denúncia, em 2018, e dava conta que Theo, como é conhecido, tornou-se próximo do clube portista quando começou a investir no Portimonense - embora só se viesse a tornar acionista maioritário a partir de 2013/14.

A relação do empresário brasileiro com o FC Porto foi também um dos alvos de Rui Pinto, que tornou o caso público no seu blog Football Leaks.



Ver comentários