Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Comando sem confiança

Contratos locais de segurança afastaram Abreu Matos.
Miguel Curado 13 de Junho de 2017 às 11:00
Superintendente Ricardo Matos foi exonerado do cargo no início de junho
Superintendente Ricardo Matos foi exonerado do cargo no início de junho FOTO: Ricardo Nascimento
A discordância pública, mostrada junto de alguns autarcas algarvios, face à implementação de Contratos Locais de Segurança (CLS) em vários municípios do distrito de Faro, terá estado na origem da exoneração do superintendente Ricardo Abreu Matos do comando da PSP de Faro.

O antigo comandante da Polícia de Faro, que foi afastado no início de junho como o CM noticiou ontem, terá dito que não conseguia compreender as vantagens dos CLS para a PSP, optando antes por apontar a necessidade de reforço de meios nas esquadras.

Ao que o CM apurou, o diretor-nacional da PSP, Luís Farinha, terá mostrado descontentamento a Ricardo Abreu Matos mal soube destas declarações do superintendente. O responsável da polícia fez ver ao seu subordinado que discordava da postura do mesmo face a um projeto como os CLS, que está a ser implementado pelo Ministério da Administração Interna (MAI), entidade que tutela a PSP.

A exoneração de Abreu Matos surgiu, por isso, como a única atitude possível para Luís Farinha, justificando-a com a falta de confiança no oficial para o desempenho do cargo.
Luís Farinha Faro Ricardo Abreu Matos PSP Ministério da Administração Interna Polícia de Faro polícia
Ver comentários