Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Dono de bordel preso 13 anos após matar cliente a tiro

Sandro Rogério da Silva geria espaço no Entroncamento com a mulher. Na origem do crime esteve uma dívida de 25 euros.
Miguel Curado 11 de Setembro de 2020 às 01:30
Atirador fugiu primeiro para Espanha e depois para o Brasil, onde esteve refugiado e acabou detido
Atirador fugiu primeiro para Espanha e depois para o Brasil, onde esteve refugiado e acabou detido FOTO: Pedro Catarino
Mais de 13 anos depois de ter matado, com um tiro na cabeça, um padeiro português e ferido um ucraniano, num bordel do Entroncamento, um brasileiro de 42 anos foi detido pela Polícia Federal na cidade de São Paulo, Brasil. Na origem do crime terá estado uma dívida de 25 euros que o homicida quis cobrar às vítimas.

Sandro Rogério da Silva, o detido, geria com a mulher um bordel no Entroncamento. Na madrugada de 28 de janeiro de 2007, o homem de 42 anos iniciou uma discussão com o padeiro Luís Filipe Nunes, na altura com 40 anos, e com um ucraniano, ambos clientes do espaço. Sandro Silva sacou de uma arma de fogo e disparou, começando primeiro por ferir o imigrante de Leste. Luís Filipe Nunes levou um tiro na cabeça mas ainda teve forças para arrancar com o carro, vindo a ter um acidente pouco depois. Foi assistido pelo INEM e transportado para o Hospital de Torres Novas, onde veio a morrer no dia 2 de fevereiro.

O homicida conseguiu escapar. Viveu primeiro em Espanha e depois fugiu para o país natal. Refugiou-se no Estado de Mato Grosso, vindo a ser detido em junho deste ano em São Paulo, em sequência da cooperação entre a Polícia Judiciária portuguesa e a Polícia Federal brasileira.

Só agora o processo foi divulgado, após a família da vítima ter sido informada da detenção do homicida. Por não haver extradições de brasileiros para Portugal, o processo já foi transferido para aquele país. Sandro Silva aguarda acusação em prisão preventiva.
Ver comentários