Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Escândalo Raríssimas revela vida privada de governante

Manuel Delgado e Paula Brito e Costa estiveram juntos no Brasil.
Sónia Trigueirão 13 de Dezembro de 2017 às 01:30
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
TVI revela imagem de casal que será Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
TVI revela imagem de casal que será Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
TVI revela imagem de casal que será Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
TVI revela imagem de casal que será Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
TVI revela imagem de casal que será Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
TVI revela imagem de casal que será Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Imagens mostram grande proximidade entre Manuel Delgado e Paula Brito e Costa
Manuel Delgado demitiu-se esta terça-feira de secretário de Estado da Saúde depois de confrontado, numa entrevista à TVI, com o facto de ter feito viagens com a presidente da Associação Raríssimas, Paula Brito e Costa, e se a relação de ambos – são os dois casados – ultrapassava o estritamente profissional. Em causa está uma viagem ao Brasil, entre 7 e 12 de agosto de 2014.

Inicialmente, Manuel Delgado disse que apenas tinha feito duas viagens com Paula Brito e Costa: uma a Burgos (Espanha) e outra a Buenos Aires (Argentina). Quando questionado com a do Brasil, respondeu: "Viajar no mesmo avião não significa que tenha sido pago pela Raríssimas."

Confrontado com documentos que mostram que a viagem foi marcada pela associação, explicou que se deslocava com frequência ao Brasil, e que provavelmente pediu à Raríssimas para fazer a reserva porque se calhar era mais económico. À pergunta se, além da relação profissional que tinha com a presidente da Raríssimas, alguma vez teve outro tipo de relação, respondeu: "Não. A minha vida privada não é para aqui chamada." Mas as fotografias divulgadas mostram uma relação intimista entre os dois.

Manuel Delgado foi contratado como consultor da Raríssimas entre 2013 e 2014. Recebeu um total de 63 mil euros. Na entrevista foi confrontado com um email de julho de 2014, em que o ex-tesoureiro Jorge Nunes lhe pedia a opinião para inverter a situação da associação, que estava com saldo negativo de 300 mil euros – o que contradiz o facto de Manuel Delgado ter afirmado que desconhecia as dificuldades da Raríssimas. 

Presidente sai e fala de "uma cabala muito bem feita"
A presidente da Associação Raríssimas, Paula Brito e Costa, demitiu-se ontem do cargo. A saída ocorreu três dias depois de noticiadas eventuais práticas de gestão danosa de dinheiros públicos.

"A minha presença já está a afetar a instituição e tenho de sair. Esta é uma cabala muito bem feita", disse ao ‘Expresso’, quando anunciou a sua saída.

Num comunicado, enviado na segunda-feira, Paula Costa negava a má gestão e tentava justificar os vestidos caros e as compras de produtos alimentares caros (como gambas) como "necessários" para divulgar a causa. 

Serviam comida fora de prazo 
"Já devia ter-se demitido há mais tempo. É uma vergonha esta associação ter uma presidente como esta. É má como as cobras." A opinião é de Lurdes Lamarosa, antiga funcionária da Casa dos Marcos, da Raríssimas, na Moita. A antiga colaboradora não esquece os dias em que Paula Brito e Costa obrigava a servir comida fora do prazo aos utentes. "Pedia-nos para colocar as bebidas em frascos, sem o rótulo."

Fátima Sousa é mãe de uma mulher com 97% de incapacidade que vive na Casa dos Marcos. "A Paula não tinha perfil para gerir uma casa que ajuda pessoas com doenças raras e o dinheiro que recebia não está refletido na casa. Foi cortando nos funcionários, que são incansáveis, mas não são suficientes", conta.

Fátima Sousa não ficou surpreendida com as notícias sobre o alegado uso de subsídios públicos em proveito próprio por parte de Paula Brito e Costa. "Via demasiados luxos, desde os vestidos aos sapatos e malas de marca, passando pelo carro."

Ontem à tarde decorreu um plenário de trabalhadores. "Concordamos com a demissão da presidente e esperemos que estas notícias não tenham impacto na Raríssimas", referiu Mário Borges, do gabinete de comunicação. 

Rosa Zorrinho sucede a Manuel Delgado 
Rosa Matos Zorrinho, 53 anos, que liderava a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, tomou ontem posse como nova secretária de Estado da Saúde. A mulher do eurodeputado socialista Carlos Zorrinho foi empossada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O primeiro-ministro, António Costa, não marcou presença - está em Paris (França) a participar na cimeira sobre o clima. Rosa Zorrinho presidiu à ARS do Alentejo entre 2005 e 2011. Antes, já tinha sido administradora no Hospital do Espírito Santo, em Évora.
Ver comentários