Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ganham milhares a enganar com falsos créditos

Foram lesadas pelo menos 18 pessoas em dificuldades financeiras.
Manuel Jorge Bento e Mónica Ferreira 30 de Setembro de 2015 às 22:02
Rede começa a ser julgada no Tribunal de Penafiel por 24 burlas
Rede começa a ser julgada no Tribunal de Penafiel por 24 burlas FOTO: DR
Atraíam as vítimas através de anúncios classificados e prometiam crédito fácil concedido por sociedades financeiras sediadas em Nova Iorque, EUA. Levavam os ‘clientes’, em dificuldades, a pagar quantias de alegadas despesas inerentes aos contratos forjados. Elsa Santos, advogada, o filho Pedro Santos, e um cúmplice, Sérgio Chita, vão ser julgados em Penafiel por 24 crimes de burla e vinte de falsificação de documentos que foram praticados entre 2010 e 2011.

"Agiram no âmbito de um plano cuidadosamente traçado entre os três e aceite por cada um deles, de forma livre, deliberada e consciente", refere a acusação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal. Serão julgados por burlas a 18 vítimas, de vários pontos do País. Dois dos lesados chegaram mesmo a pagar apostas de jogo feitas por um dos arguidos no site Betclick.

Dois dos arguidos identificaram-se várias vezes perante os ‘clientes’ como Pedro Espírito Santo. Entre os documentos falsificados – contratos de mútuo, declarações de dívida ou garantias –, alguns continham o logotipo do banco Santander .

Num dos casos, uma vítima, que pretendia um empréstimo de 10 mil euros, fez quatro pagamentos e foi-lhe proposto um contrato de 50 mil euros. Depois, foi-lhe referido que a dita financeira tinha falido. Depois de ver um novo anúncio num jornal, contactou o número indicado e atendeu o interlocutor anterior, que tentou extorquir-lhe mais 1750 euros. Os três arguidos, todos presos, estão em cadeias diferentes. Começarão a ser julgados em outubro.
Ver comentários