Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Homem burla dezenas na cadeia de Leiria

Suspeito dizia ser da PJ e das Finanças. Foi preso pela primeira vez aos 18 anos.
João Nuno Pepino 30 de Dezembro de 2019 às 08:49
A carregar o vídeo ...
Homem burla dezenas na cadeia de Leiria
O Tribunal de Santarém vai julgar um homem que cometeu dezenas de burlas a gente incauta um pouco por todo o País, enquanto cumpria pena no Estabelecimento Prisional de Leiria. Neste processo, o arguido, 34 anos, responde apenas por dois crimes de burla qualificada sobre um empresário. Mas o caso é ilustrativo do engenho para o crime que usou nas outras ocasiões.

Os factos remontam a agosto de 2015, quando o burlão contactou telefonicamente o proprietário do restaurante Manalvo, em Caxarias, Ourém, que também arrenda quartos. Fazendo-se passar por inspetor das Finanças, disse à vítima que estava a investigar uma queixa anónima por dormidas não faturadas.

Exigiu-lhe dinheiro para fazer o processo desaparecer. O empresário caiu na esparrela e entregou-lhe três mil euros, que foram transferidos para contas bancárias de um cúmplice, de 23 anos, que também é arguido neste processo.

O burlão voltou a contactar a vítima dois meses depois, desta vez fingindo ser um inspetor da PJ, que tinha prendido o inspetor da Autoridade Tributária que lhe exigiu o dinheiro. Para reforçar a mentira, disse ao empresário que o seu processo tinha escutas telefónicas a provar que entregou dinheiro ao inspetor das Finanças, pelo que lhe exigiu mais 1500 euros para "congelar" a sua investigação.

A vítima pagou apenas 750 euros, transferidos para a conta bancária do recluso, o que denunciou o esquema. Nascido em Oeiras, foi colocado na prisão pela primeira vez em 2003, com 18 anos, e é na cadeia que tem passado a maior parte da vida. Do cadastro criminal, constam condenações por roubo, furto, ofensa à integridade física, sequestro e coação.

PORMENORES
Recluso
As burlas foram cometidas com a cumplicidade de um chefe da Guarda Prisional, que lhe facilitava o acesso aos telemóveis e a outras regalias interditadas a reclusos.

Animais de estimação
O arguido burlou dezenas de donos de animais de estimação perdidos, depois de recolher informações no site www.encontra-me.org.

Veterinário
Fingia ser veterinário municipal num concelho onde encontraram os cães e os gatos, e pedia dinheiro aos proprietários para não abater os animais.

Outro caso
Num outro processo relacionado com burlas, o Tribunal de Leiria já condenou este homem e um guarda prisional da cadeia desta cidade. Segundo o acórdão, o Tribunal de Leiria apurou que os dois homens angariaram perto de 11 500 euros.
Ver comentários