Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Homem que disparou sobre ex-companheira em Guimarães acusado de tentativa de homicídio

Suspeito manteve relacionamento com a companheira durante 23 anos. Insultou-a várias vezes e acusou-a de ter um amante.
Lusa 3 de Março de 2021 às 16:04
Tribunal
Tribunal
O Ministério Público (MP) acusou de violência doméstica e tentativa de homicídio um homem que insultou, ameaçou e disparou sobre a ex-companheira em Urgezes, Guimarães, distrito de Braga, anunciou esta quarta-feira a Procuradoria-Geral Regional do Porto.

Em nota publicada na sua página na Internet, aquela procuradoria refere que o arguido está ainda acusado de um crime de detenção de arma proibida.

Segundo o Ministério Público, o arguido, no decorrer do relacionamento que manteve com a sua companheira durante 23 anos, a insultou várias vezes, a acusou de ter um amante e ameaçou que lhe batia.

A mulher apresentou queixa por violência doméstica, em 18 de julho de 2020, e terminou o relacionamento que mantinha com o arguido, solicitando-lhe ainda que abandonasse a casa de residência comum do casal.

O arguido acabou por abandonar a casa, mas adiantando que aquilo "não ia ficar assim, tendo, passado pouco tempo, confidenciado a um filho que iria fazer a ex-companheira "pagar pelo que fez" e que para isso iria tratar de arranjar uma arma.

No dia 20 de agosto, e ainda segundo o MP, o arguido abordou a ex-companheira em Urgezes, quando esta se dirigia para o trabalho acompanhada de uma das filhas de ambos, exigindo-lhe um fio de ouro.

"Quando ela lhe disse que não tinha fio nenhum, sacou de uma pistola de calibre 6,35 milímetros do casaco, municiada com três balas, apontou-lha à zona da barriga e disparou", refere ainda a nota.

A vítima acabou por não ser atingida na barriga mas sim numa coxa, porque a filha conseguiu desviar o braço do agressor.

A ex-companheira e a filha esconderam-se atrás de um muro de pedra, "enquanto o arguido efetuava mais dois disparos".

O arguido, que está em prisão preventiva, vai responder por um crime de homicídio qualificado agravado na forma tentada, um crime de violência doméstica agravado e um crime de detenção de arma proibida.

Ver comentários