Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Homicida de PSP na Amadora livre e expulso para Cabo Verde

Condenado um ano depois do crime, acabou por cumprir apenas 17 anos de cadeia.
João Carlos Rodrigues e Miguel Curado 18 de Abril de 2021 às 09:46
Luís Carlos Santos
Irineu Diniz
Luís Carlos Santos
Irineu Diniz
Luís Carlos Santos
Irineu Diniz
Os dois homens que em fevereiro de 2005 mataram a tiro o agente da PSP Irineu Diniz, na Cova da Moura, Amadora, já estão em liberdade. 
 
Luís Carlos Santos, agora com 57 anos e que tinha sido condenado a 23 anos de prisão, saiu da cadeia de Pinheiro da Cruz na sexta-feira e foi conduzido ao Aeroporto de Lisboa, onde foi logo ‘metido’ num avião com destino à cidade da Praia, Cabo Verde, sob escolta do SEF, que deu cumprimento à ordem de expulsão do País.

Condenado um ano depois do crime, acabou por cumprir apenas 17 anos de cadeia. Fica em liberdade na terra natal, mas impedido de entrar em todo o Espaço Schengen durante os próximos dez anos.

Em abril do ano passado, Euclides Tavares, o outro homicida, tinha também saído em liberdade condicional, após cumprir 15 anos de cadeia – tinha sido condenado a 19. Os dois homens são tio e sobrinho. Euclides escapou à expulsão por já ter nacionalidade portuguesa e continua em liberdade condicional apesar de ter sido apanhado a violar as regras do confinamento. Irineu Diniz, natural de Vinhais, tinha 33 anos quando foi executado com 22 tiros.

Ver comentários