Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Hospital Amadora-Sintra descarta responsabilidades pela morte de DJ 'B Show'. Familiares e amigos pedem justiça

Ismael estaria a jogar futebol quando sofreu uma lesão no joelho esquerdo no passado dia 3 de maio. Viria a morrer a 6 de junho.
Correio da Manhã 14 de Junho de 2021 às 21:50
Ismael Bora
Ismael Bora
Ismael Bora
Ismael Bora
Ismael Bora
Ismael Bora

O DJ Ismael Bora, conhecido no mundo da música por 'B Show', morreu no passado dia 6 de junho, vítima de tromboembolismo pulmonar, avançou uma médica do INEM depois de ter sido acionado o socorro para a residência de Ismael.

Segundo a família da vítima, o músico terá sofrido complicações relativas a uma lesão que sofrera um mês antes, no dia 4 de maio, altura em que foi internado no hospital Amadora-Sintra.

Ismael Bora estaria a jogar futebol quando sofreu uma lesão no joelho esquerdo. Segundo uma publicação na rede social Instagram de Kiara Timas, amiga do artista, Ismael foi encaminhado ao hospital Amadora-Sintra na madrugada de 4 de maio, tendo realizado análises e raios-x ao tórax e ao joelho. Foi depois encaminhado para o serviço de ortopedia, onde foi sujeito a "indução anestésica" após a cirurgia, que terá provocado uma "perfuração da Dura Mater", revelou a amiga. 


Mesmo apresentando sintomas como "tonturas, náuseas, vómitos e cefaleias intensas", Ismael Bora recebeu alta clínica no dia 8 de maio e foi enviado para casa, sujeito a medicação prescrita. Kiara Timas revelou que a nova consulta só estaria agendada para 1 de junho. Na madrugada do dia 31 de maio, Ismael regressou à urgência do hospital. Segundo a amiga, o músico realizou novo raio-x ao tórax, que revelou uma "contração muscular". O DJ seria, no entanto, mandado para casa.

No passado dia 6 de junho, as queixas persistiam. Ismael Bora relatou episódios de "tremores, sudorese intensa, náuseas, falta de ar, taquicardia e dor toráxica", acabando por morrer.

Em resposta ao Correio da Manhã, a unidade hospitalar descartou responsabilidades na morte do artista e na recusa na realização da autópsia, esclarecendo que "o doente não faleceu no hospital". A unidade explicou ainda que Ismael fora operado pelo serviço de ortopedia "menos de 48 horas depois [de dar entrada nas urgências], para reparação de uma rutura do tendão quadricipal", tendo recebido acompanhamento médico e realizado "penso uma vez por semana no centro de saúde da sua área de residência", após a cirurgia a que foi sujeito, no dia 5 de maio.

O Hospital Amadora-Sintra explicou também que o raio-x - realizado na madrugada de 31 de maio - "não apresentava alterações" ao estado de saúde do DJ, que compareceu "pelos seus próprios meios" à consulta que tinha marcada no dia seguinte, onde foi "retirada a tala e colocada uma joelheira gessada". De acordo com o hospital, o doente voltou a marcar nova consulta, sendo este o "o último registo existente no processo clínico do utente".

A família e amigos do artista não se conformam com a justificação do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca - onde Ismael Bora fora acompanhado, desde a data da lesão até à data da morte - e acreditam ter-se tratado de um ato de negligência por parte da instituição.

A onda de apoio à família tem-se multiplicado nos últimos dias nas redes sociais, através de vozes como a locutora Yolanda Tati e os cantores Rúben Matay, Dino D'Santiago, assim como Kiara Timas. Os amigos apelam à justiça e a que seja atribuída a responsabilidade da morte de 'B Show' ao Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca.

Ver comentários