Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Incêndio em Castro Marim lavrou "com muita intensidade" e expandiu-se em 650 hectares por hora

81 pessoas foram retiradas "por precaução".
Correio da Manhã 17 de Agosto de 2021 às 11:28
A Proteção Civil fez esta terça-feira um balanço das últimas horas do combate ao incêndio de Castro Marim, combatido por mais de 600 bombeiros e nove meios aéreos. 

Richard Marques, comandante operacional Distrital de Faro da Proteção Civil, afirma que se destaca um incêndio que lavrou com muita intensidade. "Estamos perante um incêndio com uma taxa de expansão de 650 hectares por hora", avança. No total, as chamas já consumiram nove mil hectares, mas estima-se que possam vir a ser 20 mil hectares ardidos.

"Lavrou com muita intensidade, atingindo um perímetro de 43 quilómetros, numa área afetada de cerca de 9.000 hectares", descreveu o comandante. "O potencial deste incêndio é de 20.000 hectares", acrescentou, numa conferência de imprensa, em Castro Marim.

Segundo a Proteção Civil, não há vítimas do incêndio nem indicação de casas afetadas, apenas uma oficina cujos dados ainda estão a ser recolhidos. 

Relativamente à população, foram retiradas 81 pessoas de 12 localidades "por precaução".

A A22 foi entretanto reaberta "por estarem reunidas as condições de segurança".

"Queremos dominá-lo [incêndio]", afirma o comandante que diz que as condições climatéricas poderão agravar ou ajudar no combate.

O responsável revelou ainda que foi necessário retirar "80 cães e 110 gatos" do Canil Intermunicipal de Castro Marim - Vila Real de Santo António, que foram colocados em Tavira e Loulé, com o apoio de voluntários.

Autarcas falam de noite "horrível"
Os autarcas de Vila Real de Santo António, Tavira e Castro Marim descreveram a noite desta segunda-feira como "horrível". "Foram momentos horríveis que se viveram ontem à noite", disse um dos autarcas.  

A registar, da noite desta segunda-feira, há o movimento de cerca de 100 pessoas que se mobilizaram para retirar animais de canil e gatil de Castro Marim e Vila Real de Santo António. 

O fogo ainda estava longe, mas "foi muito interessante ver esse movimento e as pessoas ajudaram-nos nessa missão", disse um dos autarcas.


Castro Marim Proteção Civil acidentes e desastres incêndios
Ver comentários