Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Juízes recusam julgar caso E-toupeira no Tribunal de Guimarães. Julgamento arranca a 29 de setembro

Defesa de Júlio Loureiro argumentava que alguns crimes tinham sido cometidos em Guimarães.
Tânia Laranjo 21 de Setembro de 2021 às 18:34
Júlio Loureiro é suspeito de passar informações ao Benfica
Júlio Loureiro é suspeito de passar informações ao Benfica FOTO: CMTV

O julgamento do caso E-toupeira, que tem como um dos principais arguidos Paulo Gonçalves, braço direito do ex-presidente do Benfica Luís Filipe Vieira, vai ser em Lisboa e não em Guimarães, isto depois dos juízes terem recusado um requerimento da defesa de Júlio Loureiro, ex-observador de árbitros e outro dos arguidos no processo.

Rui Pedro Pinheiro, advogado de Júlio Loureiro, argumentava que os crimes de peculato e corrupção passiva, de que o seu cliente está acusado, tinham acontecido na área de Guimarães e não de Lisboa, pelo que o julgamento devia acontecer nessa cidade.

Ao que o Cm apurou, os juízes não concordaram com o argumento e apoiaram a sustentação do Ministério Público, de que a primeira notícia do caso teve lugar em Lisboa e que por isso o caso deve ser julgado no Tribunal de Lisboa.

Assim, o julgamento arranca já no dia 29 de setembro, com sessões agendadas para todas as quartas-feiras, até início do mês de novembro.

Ver comentários