Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Mário Ferreira pede ao Ministério Público para ser constituído arguido

Empresas do dono da TVI foram alvo de buscas da Autoridade Tributária e do DCIAP.
Correio da Manhã 6 de Julho de 2022 às 17:15
Mário Ferreira
Mário Ferreira FOTO: Inês Gomes Lourenço
O empresário Mário Ferreira, cujas empresas em Porto, Malta e Madeira, foram alvo de buscas esta quarta-feira, pediu ao Ministério Público para ser constituído arguido, apurou o CM.

Mário Ferreira divulgou a carta enviada ao Ministério Público e justifica o pedido, dizendo que, nos últimos oito anos, nunca lhe "foi dada a oportunidade para ser ouvido no âmbito deste processo". 


O dono da Douro Azul volta a manifestar a "total e imediata disponibilidade para colaborar com a Justiça, no sentido de esclarecer cabalmente todos os factos que julguem convenientes".

Esta manhã, o empresário tinha reagido às buscas nas suas empresas dizendo, nas redes sociais: "Não estou acusado de nada, não sou arguido em nenhum processo", considerando a situação "intolerável"

Um dos alvos das buscas foi a sede da Douro Azul, a empresa de Mário Ferreira responsável pelos cruzeiros no Douro, confirmou o advogado do empresário, também dono da TVI, ao Correio da Manhã.

As buscas desta quarta-feira foram conduzidas pela Autoridade Tributária e pelo DCIAP. EM causa estarão indícios de fraude fiscal qualificada no negócio da compra e venda do navio Atlântida. A venda da embarcação foi feita em setembro de 2014, pelos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, por mais de oito milhões e em 2015. A mesma embarcação foi depois vendida, pela empresa de Márioa Ferreira sediada em Malta (um paraíso fiscal), por 17 milhões, a uma empresa norueguesa. Os Estaleiros Navais de Viana do Castelo inicialmente haviam atribuido ao Atlântida, em 2012, um valor de 29 milhões de euros.
Mário Ferreira Ministério Público Porto Malta Madeira crime lei e justiça polícia
Ver comentários
}