Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Municípios não querem militar

A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) prefere um civil como novo presidente do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC).
26 de Janeiro de 2006 às 03:31
E foi esse o desejo transmitido ao Governo, face à eventual nomeação do médico militar Bargão dos Santos para o cargo.
“O secretário de Estado da Administração Interna, Ascenso Simões, enviou-nos o currículo do major general Bargão dos Santos, que é um distinto médico e uma pessoa com trabalho feito na gestão hospitalar. É verdade que a medicina relaciona-se com a Protecção Civil, mas é uma pequena parte num sistema muito mais vasto, mais completo e mais exigente. E por isso entendemos que a presidência do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil exige uma personalidade com um saber multidisciplinar”, disse ontem ao CM Jaime Soares. representante da ANMP para a Protecção Civil.
Assegurando que nem a ANMP nem o próprio têm nada contra o major general Bargão dos Santos, Jaime Soares, e após sublinhar que “ser médico e militar não é estatuto de conhecimento suficiente para presidir a um organismo como o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil”, afirmou: “O que nos surpreende, para além da forma como o processso está a ser tratado, é a tendência dos governos indicarem um militar para presidir ao SNBPC – que até é uma instituição da sociedade civil –, quando existem pessoas na nossa sociedade com conhecimento mais profundo e adequado para o desempenho da função.”
O major general Bargão dos Santos já dirigiu o Hospital Militar de Lisboa.
Ver comentários