Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Navio português entrega 20 migrantes a Itália no mal alto

Tripulação do "Viana do Castelo" preparou-se para o resgate instalando duas metralhadoras junto à ponte do navio.
Lusa 31 de Outubro de 2017 às 18:58
Navio 'Viana do Castelo' resgatou migrantes ao largo de Itália
Refugiados
Navio 'Viana do Castelo' resgatou migrantes ao largo de Itália
Refugiados
Navio 'Viana do Castelo' resgatou migrantes ao largo de Itália
Refugiados
A bordo do navio patrulha "Viana do Castelo", ao largo da ilha de Lampedusa, Itália, 31 out (Lusa) -- O navio "Viana do Castelo" resgatou na segunda-feira um grupo de 20 migrantes, que navegavam em direção à ilha de Lampedusa, Itália, e foram entregues, em pleno alto mar, no meio de aplausos, às autoridades italianas.

A interceção das duas pequenas embarcações de madeira pelo navio português, em missão de vigilância ao serviço da agência europeia de fronteiras, Frontex, deu-se às 16:24 (15:24 em Lisboa), ao largo de Lampedusa, e o grupo foi entregue às autoridades italianas, que enviaram uma lancha da Guarda di Finanza, para os recolher.

Ao verem a lancha italiana aproximar-se, e depois de menos de meia hora de espera, os migrantes saudaram os italianos com gritos de alegria e palmas.

O alerta foi dado cerca das 14h00, a partir de uma informação do avião que ajudou à vigilância, indicando tratar-se de duas lanchas rápidas, com cinco pessoas a bordo, cada, e que a sua origem era Tripoli, na Líbia.

A tripulação do "Viana do Castelo" preparou-se, instalando duas metralhadoras junto à ponte do navio, para, se necessário, as usar a fazer tiros de aviso ou, em última análise, para obrigar a parar as duas embarcações.

"Ainda não se sabia que tipo de ação era necessária e preparámo-nos. Pelo tipo de embarcação que nos foi indicada, 'lanchas-rápidas', poderia ser algo mais grave", explicou à agência Lusa o comandante do navio, Madanelo Galocha.

No final, não foi necessário qualquer uso da força por parte dos militares e a interceção foi pacífica.

À aproximação do navio patrulha oceânico da Marinha portuguesa, pelas 16:20 (15:20 em Lisboa), um dos pequenos barcos afastou-se, tendo sido perseguido pelo "Viana do Castelo".

Nessa altura já a lancha do grupo de abordagem, de cinco militares, incluindo três fuzileiros, armados, estava no mar e conseguiu imobilizar os dois barcos, ficando junto aos migrantes até à chegada da lancha italiana, da Guarda di Finanza.

Pelas 17:05, o caso foi dado como terminado, os migrantes estavam a embarcar na lancha italiana e o grupo de contacto estava de regresso a bordo do "Viana do Castelo".

Os migrantes identificaram-se como tunisinos e informaram a equipa de abordagem que queria seguir para Lampedusa.

Com esta ação, o "Viana do Castelo" já contabiliza um total de 160 pessoas resgatadas desde que está, no início de outubro, no Mediterrâneo, entre a Itália e a Tunísia, ao abrigo da missão da Frontex.

O navio da Marinha portuguesa vai continuar em missão na zona, ao serviço da Frontex, até 09 de novembro.
navio português migrantes refugiados Itália
Ver comentários